Conecte-se conosco

Agenda

Araguaia: por que certas pessoas são mais picadas por mosquitos que outras?

Não é impressão. Os mosquitos realmente têm algumas preferências. Infelizmente, a explicação para esse fato está em algo que não podemos controlar.

Publicado

em

A temporada do Araguaia 2019 já chegou. Hotéis, pousadas e acampamentos já começam a receber os primeiros hóspedes. Especialistas explicam porque certas pessoas tem predisposição à picada de mosquitos. Isto porque algumas pessoas podem passar a noite no rio e saírem ilesas dos mosquitos; outras se enchem de repelente e mesmo assim não conseguem se livrar das picadas. Não é só impressão: os pernilongos e outras espécies de mosquitos como a Aedes Aegypit de fato têm preferência por alguns humanos. Mas por que isso acontece?

Para responder a pergunta, primeiro precisamos saber como os mosquitos detectam suas vítimas. Assim como o cheiro de sangue atrai animais carnívoros e o cheiro de bolo saído do forno atrai as crianças, o dióxido de carbono exalado pelos humanos atrai os mosquitos.

Nós respiramos moléculas de oxigênio e expiramos gás carbônico. Antes que esse gás se misture com os outros compostos presentes no ar, ele fica concentrado ao nosso redor. Os mosquitos são sensíveis à picos desse gás em um raio de 50 metros em seu entorno. Guiados pelo “sexto sentido”, eles se aproximam do local onde a concentração do dióxido de carbono é mais forte — ou seja, onde há sangue fresco para o rango.

Quando os insetos chegam a 3 metros de distância de um grupo de pessoas, chega a hora de escolher que será atacado. Vários fatores são levados em consideração: temperatura da pele, transpiração e até cor. A variável mais importante, porém, não tem a ver com a pessoa em si, mas sim com os micróbios presentes na superfície de sua pele.

Os mosquitos escolhem com base nos compostos químicos produzidos pelas colônias de microorganismos que habitam a superfície do nosso corpo. As criaturinhas microscópicas convertem secreções das glândulas sudoríparas em até 300 compostos diferentes. Em entrevista ao Live Science, o especialista em insetos Joop van Loon conta que os mosquitos detectam esses compostos pelo cheiro.

Um estudo publicado em 2011 mostrou que homens com uma maior diversidade de micróbios na pele tinham tendência a receber menos picadas do mosquito da malária do que homens com uma menor variedade. O estudo também indicou que os mosquitos podem ter preferência por algumas bactérias específicas.

Segundo Jeff Riffeli, pesquisador em atração de mosquitos, pequenas variações nessa composição de químicos pode ser a diferença entre ser a vítima ou não. As colônias de micróbios também variam ao longo do tempo em um mesmo indivíduo, como, por exemplo, quando ele está doente.

Infelizmente, não temos controle sobre a atividade dos micróbios em nossa pele. A única solução é tentar respirar com calma e diminuir sua emissão de CO2. Pessoas que estão estressadas ou praticando exercício físico ficam ofegantes e exalam mais dióxido de carbono.

Riffeli dá uma última dica prática baseada em suas pesquisas para se livrar dos mosquitos: evitar roupas pretas. Segundo ele, os insetos são atraídos por essa cor. Da próxima vez que for explorar o meio do mato, considere usar roupas de manga longa e, de preferência, cores claras.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agenda

Ministério da Saúde libera uso de vacinas da Janssen congeladas

Publicado

em

Por

O Ministério da Saúde liberou o uso de vacinas da Janssen armazenadas de forma imprópria

Mais de 40 mil doses do imunizante contra a Covid-19 chegaram ao Distrito Federal no sábado (3)

As vacinas estavam “congeladas, abaixo da temperatura adequada”

O Ministério da Saúde liberou o uso das doses da vacina da Janssen que chegaram congeladas ao Distrito Federal. Segundo a pasta, os imunizantes contra o coronavírus podem ser aplicados na população de forma segura.

A quantidade representa 2,6% do total das 109,8 mil doses de vacinas da Janssen, Pfizer e AstraZeneca entregues entre sexta-feira (2) e sábado (3) ao Distrito Federal. O carregamento passou por vistoria e foi aprovado pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), após a constatação de que a temperatura não influenciou a qualidade da vacina”, informou o Ministério da Saúde no Twitter.

De acordo com informações da Secretaria de Saúde do Distrito Federal publicadas pelo portal G1, as 40,1 mil doses do imunizante que haviam chegado a Brasília estavam congeladas e, no momento, “indisponíveis para uso”.

Durante a conferência das doses na Rede de Frio Central, que armazena e distribui imunizantes em Brasília, foi observado que as vacinas “estavam congeladas, abaixo da temperatura adequada”, que é de 2°C.

Segundo a empresa de aviação Latam, as doses chegaram a Brasília às 8h41 deste sábado. Elas vieram do Aeroporto Internacional de Cumbica, localizado em Guarulhos (SP).

O Distrito Federal atingiu a marca de 1.005.782 pessoas vacinadas contra a Covid-19, o equivalente a 32,46% da população.

Na sexta-feira, foram aplicadas 17.019 doses, sendo 13.942 de primeira dose, 2.960 de segunda dose e 117 dose única, com a vacina da Janssen.

Ao todo, 344.171 pessoas tomaram as duas doses da vacina contra Covid-19 na capital e 15.881 se imunizaram com a dose única.

Continue Lendo

Agenda

HOJE | Vênus e Júpiter podem ser vistos próximos em fenômeno raro

Publicado

em

Por

Vênus e Júpiter estarão mais próximos para quem observa da terra nesta quinta-feira, 11 num fenômeno raro conhecido como conjunção.

A conjunção é um fenômeno visual, segundo o professor e astrônomo amador, Maico Zorzan, membro do Clube de Astronomia Edmond Halley (Caeh).

“Quer dizer que, do ponto de vista do observador, que está na Terra, os astros parecerão estar mais próximos, mas na verdade não estão.

O que existe é um alinhamento, ou seja, estão na mesma direção, mas cada um está na sua órbita”, destacou em entrevista ao GMC Online.

O fenômeno raro se estende até a manhã de sexta-feira, 12 e graças à lua nova será visto com maior nitidez.

As conjunções poderão ser vistas no período da noite, mas o melhor horário para observar é de madrugada, próximo ao amanhecer.

Como identificar essa conjunção rara?

De acordo com o Farmer’s Almanac , o período de observação ideal é cerca de 30 minutos antes do nascer do sol em direção ao sudeste.

Nesse ponto, os planetas deveriam ter subido o suficiente acima do horizonte para serem vistos.

O sol ainda não começou a iluminar o céu, e você pode avistar Júpiter e Saturno brilhando muito próximos – apenas 0,4 graus de diferença.

Conjunções em fevereiro

No total, são 10 conjunções de planetas em fevereiro.

Vênus e saturno foram vistos próximo no último dia 06 de fevereiro, Mercúrio e a Lua, no dia 08 e a Lua com Vênus, Júpiter e Saturno nesta semana.

Veja o calendário as próximas conjunções:

13/02/2021 – Conjunção entre a Lua e Netuno/Vênus e Mercúrio;

15/02/2021 – Conjunção entre Júpiter e Mercúrio;

17/02/2021 – Conjunção entre a Lua e Urano;

18/02/2021 – Conjunção entre a Lua e Marte;

22/02/2021 – Conjunção entre a Lua e Mebsuta, estrela da constelação de Gêmeos;

23/02/2021 – Conjunção entre Saturno e Mercúrio.

Continue Lendo