Conecte-se conosco

Mundo

Biden questiona promessa de Trump de uma vacina antes das eleições, e presidente responde dizendo que adversário tem retórica ‘antivacina’

Publicado

em

Joe Biden, que concorre nas eleições deste ano contra Trump, disse que gostaria de ouvir o que os médicos têm a dizer sobre a possibilidade de haver uma vacina antes do dia da votação, 3 de novembro.

Donald Trump acusou, nesta segunda-feira (7), o candidato democrata, Joe Biden, e sua companheira de chapa, Kamala Harris, de usarem uma “retórica irresponsável” contra a possibilidade de uma vacina contra a Covid-19 estar disponível antes das eleições presidenciais, marcadas para o dia 3 de novembro.

Trump reagiu a declarações de ambos os democratas nesse sentido com um texto em uma rede social em que acusa os rivais de terem uma “retórica antivacinas irresponsável, que coloca vidas em risco e desacredita a ciência”.

Kamala declarou na semana passada à rede de TV CNN que não se fiaria apenas na palavra do presidente sobre a possibilidade de haver uma vacina disponível antes de 3 de novembro. Já Biden comentou nesta segunda que “gostaria de ver o que os cientistas dizem”. Ele acusou o republicano de “minar a confiança da opinião pública” ao politizar problemas sanitários.

Trump se defendeu em entrevista coletiva na Casa Branca: “O que eles dizem é muito perigoso para o nosso país. A vacina será muito segura e eficaz”, afirmou, voltando a mencionar a possibilidade de a mesma estar disponível “antes de um dia muito especial”, referindo-se às eleições de 3 de novembro.

Não é a primeira vez que o presidente dos Estados Unidos fala em ter uma vacina antes do dia da votação. No começo de agosto, ele deu entrevista a uma rádio e foi perguntado sobre a data. “Eu acho que em alguns casos, sim, seria possível antes, mas mais ou menos naquela época”, disse ele na época.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

CDC dos EUA diz que coronavírus pode se espalhar pelo ar

Publicado

em

Por

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos alertou que a covid-19 pode se espalhar por meio de partículas transportadas pelo ar que podem permanecer suspensas e viajar além de seis pés, o equivalente a cerca de 1,83 metro. A agência havia informado anteriormente que o vírus se espalhava principalmente de pessoa para pessoa por meio de gotículas respiratórias quando alguém doente tosse, espirra ou fala.

A orientação atualizada, postada no site da agência na sexta-feira, também recomenda que as pessoas usem purificadores de ar para reduzir germes transportados pelo ar dentro de casa a fim de evitar a propagação da doença. Os vírus transportados pelo ar estão entre os mais contagiosos, e o CDC alertou que locais mal ventilados aumentam o risco de propagação. Estudos mostraram que o novo coronavírus pode se espalhar por meio de aerossóis no ar, e a OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmou que está monitorando “evidências emergentes” de uma possível transmissão aérea..

Continue Lendo

Mundo

Bachelet alerta na ONU perigo crescente no Brasil por falta de espaço na sociedade civil

Publicado

em

Por

Discurso de Michelle Bachelet marcou abertura do Conselho de Direitos Humanos da ONU

Ela denunciou a crise em cerca de 30 países. Brasil mereceu destaque por ataques contra jornalistas e ativistas de direitos humanos

Bachelet também denunciou desmonte de espaço para a sociedade civil no Brasil

A alta comissária da ONU para Direitos Humanos, Michelle Bachelet, alertou para o crescente envolvimento militar nos assuntos públicos no Brasil. Num discurso de abertura no Conselho de Direitos Humanos da ONU, nesta segunda-feira em Genebra, a chilena ainda denunciou os ataques contra ativistas e jornalistas no país e o desmonte de mecanismos de participação da sociedade civil na formulação de políticas públicas. Seu discurso listou cerca de 30 países com graves situações de direitos humanos. Além do Brasil, ela atacou a abusos na Venezuela, China, Arábia Saudita, Mianmar, Síria, Belarus, Líbano, EUA, Polônia e outros locais do mundo.

No Brasil, estamos recebendo relatos de violência rural e despejos de comunidades sem terra, bem como ataques a defensores dos direitos humanos e jornalistas, com pelo menos 10 assassinatos de defensores dos direitos humanos confirmados este ano”, denunciou a ex-presidente do Chile.

Em outro trecho de seu discurso e falando de uma forma mais geral sobre o continente americano, ela indicou que “um número alarmante de defensores dos direitos humanos e jornalistas continua a ser intimidado, atacado e morto – particularmente aqueles dedicados a proteger o meio ambiente e os direitos da terra”

Apelo a todos os governos para que se abstenham de desacreditar os defensores dos direitos humanos e os jornalistas, colocando-os em maior risco de ataques. Encorajo investigações decisivas e processos judiciais contra os perpetradores”, destacou. … – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/colunas/jamil-chade/2020/09/14/onu-denuncia-crescente-envolvimento-militar-em-assuntos-publicos-no-brasil.htm?uol_app=uolnoticias&cmpid=copiaecola

Continue Lendo
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com