Conecte-se conosco

Brasil

Bolsonaro cria falso alarme sobre óleo no nordeste e Ministro da Defesa o contradiz

Publicado

em

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo, afirmou hoje que o governo não dispõe da informação sobre a quantidade total de óleo que ainda pode chegar à costa brasileira. “Nós não sabemos a quantidade derramada, o que está por vir ainda”, disse o ministro.

O ministro fez a afirmação ao comentar a declaração do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que, em entrevista a TV Record, afirmou que “o pior ainda está por vir”. Especialistas ouvidos já haviam dito que não é possível saber se chegará mais ou menos óleo à região.

Não há como saber se “pior” do óleo ainda está por vir, dizem especialistas

Hoje, Azevedo afirmou que a Marinha e órgãos do governo federal estão acompanhando as ocorrências de óleo na costa, mas que o avanço das manchas de petróleo não é de fácil detecção por satélites ou radares, o que dificulta o trabalho das equipes.

“É difícil, porque ele [o óleo] fica a meia água, é imperceptível”, disse Azevedo em entrevista coletiva sobre o tema.

“Há sinais de que quantidade está diminuindo”

O comandante de Operações Navais da Marinha, o almirante Leonardo Puntel, que coordena o trabalho das equipes no Nordeste, afirmou que a chegada do óleo às praias dá sinais de estar diminuindo.

“O que nós estamos vendo nos últimos dias é um arrefecimento real, estatístico, da quantidade de óleo que está chegando às praias. Há mais de seis dias que não chega óleo a Pernambuco”, disse Puntel.

Perguntado sobre se Bolsonaro se baseou em alguma informação técnica para afirmar que “o pior ainda está por vir”, o almirante Puntel não apresentou uma resposta clara.

Segundo o comandante da Marinha, são produzidos relatórios diários sobre a situação do óleo no Nordeste pelo GAA (Grupo de Avaliação e Acompanhamento), constituído pelo Ibama, pela Marinha e pela ANP (Agência Nacional do Petróleo).

Mas, ao ser perguntado se algum desses relatórios apontou que a situação nas praias poderia piorar, Puntel não confirmou nem negou se essa informação foi fornecida ao presidente.

“Eles conduzem os relatórios exatamente à situação factual, e a situação factual é essa que nós mostramos, todo o movimento das correntes, dos óleos, o movimento da corrente submersa desses óleos que navegam submersos e suas diversas direções, que são imprevisíveis”, respondeu Puntel.

Ao ser perguntado sobre o motivo de o presidente Bolsonaro ter dito que o pior ainda estaria por vir, Puntel afirmou que não poderia ser descartada “nenhuma possibilidade” e que o governo não sabe a quantidade de óleo que ainda pode chegar às praias.

“Todo acidente ou incidente que é inédito, ele leva a várias ideias e muitas possibilidades. Nesse acidente, nós não podemos descartar nenhuma possibilidade, todas as possibilidades têm que ser aventadas e tomar medidas para sua mitigação possível”, disse Puntel.

“Nós não sabemos se existe ainda muita coisa ou pouca coisa”, afirmou o almirante.

Desde o final de agosto, praias dos estados do Nordeste começaram a ser atingidas por manchas de óleo, identificado como petróleo cru, ou seja, que não foi refinado.

Até o momento, o óleo já chegou a 314 localidades de 110 municípios em todos os nove estados nordestinos.

Por enquanto, o governo já contabilizou 4.000 toneladas de óleo e resíduos coletados nas praias, segundo números informados pelos governos estaduais e pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis).

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Tuka Rocha morreu queimado tentando salvar criança de 6 anos, diz Felipe Massa

Publicado

em

Por

O piloto Felipe Massa foi mais um amigo a lamentar a morte de Tuka Rocha, ex-piloto de Stock Car. Tuka tinha 36 anos e morreu às 6h20 de hoje. Ele estava no jatinho que caiu durante uma tentativa de pouso na pista de um resort em Barra Grande, Bahia, na quinta-feira (14). Ele é a terceira vítima fatal do acidente, depois das irmãs Marcela Brandão Elias, 37, e Maysa Marques Mussi, 27
Em um post no Instagram, Massa se disse muito triste com “a perda de um irmão” e diz que o amigo “foi um herói” pois teria voltado ao avião em chamas após a queda para tentar salvar outra vítima do acidente — um menino de seis anos.

Descanse em paz Tukinha. Estou muito triste com a perda de um irmão como você e de outras pessoas que estavam juntos nesse trágico acidente. Você foi um herói em voltar para salvar a vida de uma criança que estava no avião. Que Deus te receba de braços abertos. Do fundo do meu coração Muita força para seus familiares, para os que estão machucados e todos que estão sofrendo. Descanse em Paz maninho

Continue Lendo

Brasil

VÍDEO | Pedro Scooby é resgatado após 1min20 desaparecido em onda gigante em Nazaré. Confira

Veja a sequência de imagens aéreas com o resgate de Pedro Scooby em Nazaré. Brasileiro ficou por quase 1min20 desaparecido até ser resgatado e levado para a areia

Publicado

em

Por

Uma sequência de imagens feitas por um drone mostra com detalhes os momentos de tensão vividos pelo surfista Pedro Scooby depois de ser engolido por uma onda gigante na Praia do Norte, em Nazaré, na última quarta-feira. Confira no vídeo abaixo.

Pelas imagens aéreas, é possível ver que Scooby ficou quase 1min20s desaparecido até o alemão Sebastian Steudtner encontrá-lo com um jet ski para fazer o resgate. Steudtner, também surfista de ondas grandes e namorado da brasileira Maya Gabeira, conseguiu levar Scooby em segurança e ainda ajudou o brasileiro a se recuperar na areia.

Confira abaixo

Continue Lendo