Conecte-se conosco

Estado

Caiado completa secretariado em busca de gestão eficiente

Publicado

em

O governador Ronaldo Caiado (DEM-GO) completa sua equipe nesta semana com a missão de melhorar as pautas do governo de Goiás.

Durante os primeiros 40 dias de governo, o gestor enfrentou um dos piores cenários políticos já herdados em Goiás por uma equipe de transição.

A gestão de Caiado é chamada na ciência política de “quebra de ciclo”.

Seu governo substitui um grupo que esteve no poder durante duas décadas, cuja atuação foi marcada por denúncias de corrupção, prisão de aliados políticos, venda de estatais históricas e investigação de improbidade administrativa.

Com uma dívida de R$ 25 bilhões apontadas pelo Tesouro Nacional, o Governo de Goiás ainda apresenta uma dívida de R$ 5,7 bilhões em inadimplementos urgentes, caso de pagamento de OSs e faculdades que participam do programa “Bolsa Universitária”.

Nesta terça-feira, 12, o ex-senador Wilder Morais (DEM-GO) assume a Secretaria de Indústria e Comércio (SIC) com a missão de melhorar os números econômicos do Estado.

Considerado um dos principais auxiliares de Caiado, Wilder terá como missão reaquecer o comércio e a indústria de Goiás.

Wilder assumirá a pasta em um momento delicado para Goiás, que enfrenta o início de um processo de desindustrialização.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem demonstrado que o Estado sofre grande perda no setor. A “Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional” divulgada em agosto mostrou que Goiás é o estado que mais sofreu perdas no ano (-3,6%).

No mesmo período, o IBGE apontou que o Amazonas teve alta de 10,9% e Pará 9,2%.

A situação piorou em dezembro, com a nova rodada da pesquisa: a queda mais intensa na comparação anual ocorreu novamente em Goiás (-6,5%).

Além de Wilder, outros secretários terão grandes desafios.

Vão ser empossados pelo governador ainda Valéria Torres (Comunicação Social), Rafael Rahif (Esporte) e Antônio Carlos Lima Filho (Agricultura).

ENTRAVE

Um dos primeiros requerimentos da gestão Caiado foi endereçado ao governo Jair Bolsonaro (PSL).

Goiás tentou entrar no Regime de Recuperação Fiscal (RRF), mas foi vetado por Paulo Guedes, ministro da Economia, por não se enquadrar na legislação.

Primeiro estado a utilizar a nova legislação que regulamenta a recuperação fiscal, o Rio de Janeiro obteve permissão para adentrar no regime devido o evidente grau de endividamento.

De imediato, o Tesouro Nacional pagou suas dívidas, suspendendo por até três anos o pagamento de todas as obrigações.

O aumento da dívida consolidada é uma das premissas para que o Estado consiga adentrar no sistema RRF.

O caso do Rio Grande do Sul é emblemático: antes de entrar com pedido administrativo de recuperação fiscal, ele conseguiu uma decisão liminar na Justiça para interromper o pagamento das dívidas – consideradas muitas vezes injustas, devido a voracidade da progressão que surge com as altas taxas de juros.

No momento este é o principal problema de Goiás: a dívida deixada pelas gestões anteriores podem inviabilizar o governo.

Caberá ao governador, com suas ferramentas de gestão, mudar a rota do Estado.

 

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

2 MIL EMPREGOS | Governador Caiado anuncia instalação de fábrica de cerveja em Jataí

Empresa irá gerar 2 mil empregos diretos na cidade, e produção goiana atenderá os mercados do Centro-Oeste, Norte e Nordeste do País

Publicado

em

Por

O governador Ronaldo Caiado anunciou nesta quinta-feira (16/01), a instalação de nova fábrica da Cervejaria Império, no município de Jataí, no Sudoeste goiano. A implantação da cervejaria, que já tem unidades em funcionamento em Petrópolis (RJ) e Frutal (MG), vai envolver investimentos de mais de R$ 900 milhões e gerar mais de 2 mil empregos diretos na cidade, segundo revelou o governador.

A fábrica de Jataí vai fornecer cerveja a toda região do Centro-Oeste, Norte e Nordeste brasileiro. “É Goiás a cada dia mais pujante e sendo a opção de quem quer se desenvolver”, disse o governador. Caiado agradeceu o trabalho do secretário Wilder Morais, e de toda a equipe da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), que busca trazer mais investimentos para Goiás.

“Esse trabalho da Secretaria certamente segue a determinação do governador, de regionalizar o desenvolvimento do Estado e trazer mais emprego e renda para Goiás”, afirmou o secretário Wilder Morais.

A vinda da unidade industrial da Cervejaria Cidade Imperial para Goiás, que se beneficia com incentivos fiscais do Governo estadual, se deu por meio de acerto entre Ronaldo Caiado, o secretário Wilder Morais e contou com o trabalho do deputado estadual Zé Carapô (DC). Esta será a terceira cervejaria de grande porte a se instalar em Goiás, que já tem a Ambev, em Anápolis, e a Heineken, em Alexânia.

Localização estratégica

A previsão é de que o início das obras da nova fábrica ocorra em janeiro de 2021 e a produção da Cerveja Imperial ocorra já no primeiro semestre de 2022. Pesaram na escolha de Goiás para a criação de mais uma unidade da cervejaria fatores como a localização estratégica do município de Jataí, servido por três rodovias (BR-158, BR-060 e BR-364) e se situar no centro do País, com facilidades de comercialização com outras regiões brasileiras.

Continue Lendo

Estado

Governador anuncia voo comercial entre Rio Verde e São Paulo

Reunião definiu últimos detalhes para operação da GOL, que vai beneficiar o Sudoeste Goiano. No encontro, representantes da Infraero também garantiram que processo de internacionalização do Santa Genoveva estará concluído no próximo mês

Publicado

em

Por

A partir do dia 1º de fevereiro, os goianos poderão contar com voos diários entre Rio Verde e o aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Uma reunião, nesta quarta-feira (15/01), entre o governador Ronaldo Caiado, representantes da empresa aérea Gol e a Infraero definiu os últimos detalhes da operação. A criação da nova rota é consequência da política do governo estadual que, em dezembro do ano passado, reduziu de 15% para 7% a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do querosene da aviação.

O governador Ronaldo Caiado destacou que a operação traz mais prestígio ao Estado, facilitando o transporte e o acesso à região de Rio Verde, no Sudoeste Goiano, que se destaca pelo agronegócio e pela presença de grandes indústrias. “Tenho certeza de que vai ser um sucesso, ainda mais agora com a instalação da plataforma da Rumo (Ferrovia Norte-Sul). Isso vai ampliar demais essa demanda”, projetou.

Caiado ressaltou também que o movimento da Gol é importante para fortalecer a aviação regional. “Espero que no futuro próximo tenhamos também (voos diários) para Caldas Novas e outras regiões do Estado”, sugeriu. O governador aproveitou a oportunidade para destacar que este é um dos primeiros resultados de uma política assertiva do governo. “Baixamos o ICMS do querosene da aviação e as pessoas estão vendo e sentindo os resultados que estão beneficiando Goiás”.

Representante da Gol, a executiva de relações e instituições da empresa, Vanisse Sales, elogiou a postura do governo goiano em reduzir o ICMS para a aviação, posição alinhada ao que já vem sendo praticado por outros Estados para aumentar a frequência de voos. “Queremos continuar, de fato, a expansão regional”, disse. Vanisse recebeu dos representantes da Infraero um relatório com outros 20 aeroportos no Estado que têm condições de operar voos comerciais, entre eles o de Alto Paraíso. “Vou levar para a gente já estudar. Começamos com esse voo diário até Rio Verde, mas com os apontamentos, verificando interesse, o nosso planejamento é aumentar”, garantiu.

A executiva também afirmou que, desde que houve a redução do tributo em Goiás, a empresa aérea aumentou a aquisição de querosene de aviação de forma significativa no Estado. Em menos de um mês (a nova alíquota começou a vigorar em 21 dezembro), o consumo somente da Gol aumentou em 200 mil litros de querosene.

O secretário de indústria e Comércio, Wilder Morais, afirmou que a criação do voo é um grande presente para Rio Verde. “Com certeza, a pujança econômica do município irá alavancar cada vez mais o desenvolvimento da região”. O presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, disse que a estratégia de Goiás demonstra para a sociedade que não há renúncia de recursos públicos. Pelo contrário, já que há uma curva significativa de aumento da aquisição de combustível simplesmente pelo decreto reduzindo a alíquota do ICMS. “A ideia é sentar também com outras companhias para pulverizar voos regionais e outros para as regiões Norte, Nordeste e Sul do País. Temos uma grande expectativa nesse sentido”, explicou.

De acordo com o presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira, Rio Verde se tornou referência na região Sudoeste, economicamente, a mais forte no Estado de Goiás. “Tenho certeza que a Gol estará bem economicamente, comercialmente também naquela região”, ressaltou. Lissauer aproveitou para sugerir à empresa estudar rotas para Goiânia e Brasília. “Tenho certeza que tem demandas e condições comerciais para isso”, afirmou.

*Internacionalização do Santa Genoveva*
Representantes da Infraero também participaram da reunião para apresentar mais detalhes da internacionalização do Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, que deve ser concluída até 5 fevereiro. Segundo o superintendente do órgão, Antônio Erisvaldo Sales, a estatal já tem os pareceres de quatro órgãos federais e o terminal atende tudo que é previsto pelos órgãos de controle, como fisco, imigração, fauna e flora. “Tudo evoluiu bem e estamos na fase final de adequação da infraestrutura. Compramos equipamentos, câmeras, gravador de áudio e voz, raio-x, e tivemos que bloquear muitos acessos vulneráveis do aeroporto”, sublinhou.

Continue Lendo