Conecte-se conosco

Estado

Caiado pretende atingir índice de 55% de isolamento com quarentena intermitente

Em entrevistas concedidas a rádios paulistas, o governador afirmou que as medidas adotadas pelo governo têm embasamento técnico-científico e foram tomadas visando diminuir o crescimento da curva no Estado e evitar a sobrecarga do sistema de saúde

Publicado

em

Intercalar 14 dias de fechamento com 14 dias de funcionamento das atividades comerciais é a medida adotada pelo governador Ronaldo Caiado em Goiás e instituída no decreto publicado na noite desta segunda-feira com medidas para enfrentar o período mais crítico da pandemia no Estado. Junto à chamada quarentena intermitente, o governador Ronaldo Caiado irá promover a ampliação da testagem RT-PCR e o investimento em mecanismos de rastreamento dos contaminados bem como das pessoas que convivem com eles. “Pretendo elevar a 55% o isolamento social, junto ao rastreamento dos pacientes acometidos nesse período de 14 dias. Dessa forma, tenho condições de diminuir a disseminação [do vírus] e a minha estrutura hospitalar pode suportar a demanda”, concluiu Caiado.

Combinadas, as ações previstas pelo Governo de Goiás devem permitir um diagnóstico mais seletivo das áreas e das atividades onde há maior índice de disseminação da Covid-19 no Estado. Esses foram esclarecimentos apresentados pelo governador durante entrevistas a duas rádios nacionais – as paulistas Bandeirantes e Jovem Pan – na manhã desta terça-feira (30/06). “Todas as minhas decisões, desde o primeiro decreto, foram tomadas com embasamento técnico-científico. Diante desse crescimento, que está extrapolando a curva prevista por nós, dentro da nossa capacidade de atendimento em leitos de UTI, buscamos essa nova proposta”, argumentou.

Único médico que está à frente de um Estado, o governador Ronaldo Caiado frisou que o coronavírus é extremamente agressivo e continua surpreendendo por sua capacidade de se manter ativo e pelas diferentes formas de contaminação. “É um vírus desafiador, e todos os países que acharam que ele não deveria ser tratado como de altíssimo risco se ajoelharam”, lembrou. Caiado garantiu que, em Goiás, todos os mecanismos e ferramentas considerados atenuantes da disseminação da Covid-19 serão avaliados e considerados pela gestão estadual.

Investimentos na rede hospitalar

A prioridade do Governo de Goiás é oferecer tratamento digno aos pacientes contaminados, sem sobrecarga do sistema de saúde. Por esse motivo, o governador tem investido fortemente na estadualização de hospitais, garantindo atendimento em todas as macrorregiões do Estado. Caiado fez questão de referendar o governo federal e os deputados da bancada goiana no Congresso Nacional, que destinaram emendas impositivas para a construção, restauração e aparelhamento de hospitais. “Nesse período eu pude aparelhar oito hospitais e instalar uma estrutura mínima necessária de UTIs, dando ao cidadão do interior a chance de ser tratado”, destacou. “Nunca se viu uma dotação de repasse de apoio à Saúde tão expressiva quanto no atual governo.”

Desde o início da pandemia, o Governo de Goiás destinou cerca de R$ 351 milhões para o aparelhamento de hospitais em todo o Estado. Paralelamente à abertura de hospitais e à ampliação de vagas para atendimento exclusivo da Covid-19 – que até o final de julho devem chegar a quase 600 leitos estaduais –, o governador Ronaldo Caiado tem fortalecido a conscientização sobre a importância do isolamento social, medida considerada a mais eficaz até o momento pelos órgãos competentes no combate à disseminação do coronavírus. “Em Goiás, vou resistir para que eu possa manter a contaminação em um nível aceitável e compatível com o que eu tenho instalado [na rede de Saúde do Estado]”, declarou.

Na tarde de hoje o governador Ronaldo Caiado inaugura o Hospital São Marcos, na cidade de Itumbiara, que foi reformado e reestruturado e será reaberto com capacidade para 200 leitos, sendo 30 de UTI. A unidade, que estava fechada, foi cedida ao Estado por determinação da Justiça.

Direcionamento da ações

Caiado destacou que na reunião realizada com os prefeitos na segunda-feira (29/06) por videoconferência, ele apelou para que os recursos destinados pelo governo federal aos municípios sejam investidos na ampliação da testagem RT-PCR e em mecanismos de rastreamento dos contaminados. Tudo isso para evitar uma explosão de casos nos próximos dias. Para tanto, o governo recomendou que os gestores municipais envolvam também agentes comunitários de saúde e assistentes sociais neste processo.

O governador lembrou que é normal que existam opiniões divergentes, entretanto, de acordo com decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), cada gestor vai responder pelas políticas adotadas em seus municípios. Segundo ele, apesar de algumas opiniões divergentes, os prefeitos estão reavaliando suas posições. Para Caiado, a maior oposição às medidas de isolamento adotadas até o momento partiram do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, que de acordo com o governador, não goza de credibilidade para tratar sobre o tema, e do ex-governador Marconi Perillo, reconhecido adversário político. “A ampla maioria da população tem consciência do trabalho que nós estamos fazendo e, ao mesmo tempo, da importância de se preparar o Estado para atender os pacientes.

Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Senador Vanderlan busca recursos e equipamentos no Ministério da Saúde para municípios goianos combaterem a Covid-19

Publicado

em

Por

O senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO) acompanhado do prefeito de Quirinópolis, Gilmar Alves, do vice-prefeito de Aparecida de Goiânia, Veter Martins e do secretário municipal de saúde de Aparecida de Goiânia, Alessandro Magalhães, estiveram reunidos na manhã desta segunda-feira (13), com ministro interino da saúde, general Eduardo Pazuello. A comitiva tratou de diversos assuntos referentes ao combate ao novo Coronavirus em Goiás e, especialmente, em Aparecida de Goiânia e Quirinópolis.


“Nós trouxemos ao ministro algumas demandas importantes para esses dois municípios que se tornaram pólos de atendimentos para diversas outras cidades próximas a eles. São necessidades como respiradores, testes, tomógrafos, enfim, equipamentos e recursos necessários para dar continuidade ao enfrentamento desta pandemia”, disse o senador.

O senador falou ainda que existe a possibilidade de estruturar melhor as cidades que estão servindo de apoio para outras no atendimento aos casos de Covid-19. “Ficamos muito satisfeitos com esse encontro, pois o ministro Pazuello se mostrou muito sensível às nossas demandas e tenho certeza que logo teremos o reforço necessário para que os municípios goianos enfrentem essa triste pandemia”, disse o senador.

Recursos e equipamentos – Desde o início da pandemia, em março deste ano, que o senador vem concentrando esforços na luta contra o coronavirus e em prol da saúde da população. Através de emendas parlamentares, Vanderlan destinou mais de R$ 20 milhões para a saúde e os recursos chegaram aos cofres de 85 municípios no dia 27 de abril.

Ao unir esforços com o deputado federal Francisco Júnior, os dois parlamentares conseguiram destinar, ainda, R$ 21.942.323,20 para o Hospital de Campanha Estadual (Hospital do Servidor), Hospital de Campanha de Goiânia (Maternidade Oeste), Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás, Hospital de Campanha de Aparecida de Goiânia e para mais 45 municípios goianos.

No último dia 2 de julho, Vanderlan anunciou a liberação de mais recursos que, dessa vez, foram indicados para mais 191 municípios goianos aplicarem no combate à Covid-19. “Esse dinheiro vai cair direto nas contas dos Fundos Municipais de Saúde de cada município, sem precisar de intermediários”, explicou o senador.
Vanderlan foi responsável, ainda, pela destinação de Tomógrafos, no valor de R$ 5.760.000,00, para os municípios de Iporá, Goianira, Catalão e Trindade. Ao todo, 95 respiradores foram enviados a diversos municípios de Goiás por meio do senador.

Doação – Através de parceria entre o Grupo Cicopal e a Universidade Federal de Goiás (UFG), seis mil Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), máscaras de proteção facial em PVC, foram produzidos e distribuídos para os profissionais de saúde de Goiás. “Desde o início dessa crise sanitária, estamos trabalhando, de todas as formas e com todos os recursos que temos, para que possamos vencer essa batalha”, observou Vanderlan.

Continue Lendo

Estado

Confira aqui o novo decreto do governo de Goiás que estabelece novas medidas e aberturas de comércio e isolamento social

Publicado

em

Por

Confira abaixo na íntegra o novo decreto do governo de Goiás que estabelece novas regras para o comércio e população

ESTADO DE GOIÁS

SECRETARIA DE ESTADO DA CASA CIVIL

DECRETO Nº , DE DE DE 2020

Altera o Decreto nº 9.653, de 19 de abril de 2020.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE GOIÁS, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, também tendo em vista que o Ministério da Saúde, por meio da Portaria nº 454, de 20 de março de 2020, declarou, em todo o território nacional, o estado de transmissão comunitária do novo coronavírus (COVID-19), e considerando os protocolos a serem observados pelas atividades econômicas e não econômicas durante o período de funcionamento mencionado no artigo 2º do Decreto nº 9.653, de 19 de abril de 2020, com a redação dada pelo Decreto nº 9.685, de 29 de junho de 2020,

DECRETA:

Art. 1º O Decreto nº 9.653, de 19 de abril de 2020, passa a vigorar com os seguintes acréscimos e alterações:

“Art. 3º ……………………………………………………………………………………..

I – todos os eventos públicos e privados de quaisquer natureza, desde que presenciais, inclusive reuniões, espaços comuns de condomínios verticais e horizontais destinados exclusivamente ao lazer tais como churrasqueiras, piscinas, salões de jogos e festas, espaços de uso infantil, salas de cinemas e/ou demais equipamentos sociais que ensejem aglomerações e que sejam propícios à disseminação da COVID-19;

II – a visitação a presídios e a centros de detenção para menores, ressalvadas as condições previstas no § 1º deste artigo;

……………………………………………………………………………………………………..

VII – boates e congêneres;

……………………………………………………………………………………………………..

§ 1º ………………………………………………………………………………….

§ 2º O funcionamento de atividades econômicas e não econômicas deve se dar sem prejuízo dos protocolos de funcionamento expedidos por autoridade sanitária, do uso de máscaras, da manutenção do distanciamento entre pessoas e proibição de aglomerações.” (NR)

“Art. 6º As atividades econômicas e não econômicas em funcionamento por serem consideradas essenciais ou aquelas retomadas após o período de suspensão, além da adoção dos protocolos específicos disponibilizados na página eletrônica www.saude.go.gov.br/coronavirus (protocolos de funcionamento de atividades), devem:

……………………………………………………………………………………………………..

§ 1º Os bares e restaurantes no período em que autorizados a funcionar, além dos protocolos específicos, deverão observar a lotação máxima de cinquenta por cento de suas capacidades de acomodação.

§ 2º Os eventos esportivos realizados no Estado de Goiás poderão ser executados desde que os portões estejam fechados para acesso ao público, com especial observância aos protocolos específicos para a atividade disponibilizados na página eletrônica www.saude.go.gov.br/coronavirus (protocolos de funcionamento de atividades).” (NR)

“Art. 12 As autoridades administrativas competentes ficam incumbidas de fiscalizar eventual desrespeito às disposições deste Decreto, abuso de poder econômico no aumento arbitrário de preços dos insumos e serviços relacionados ao enfrentamento da COVID-19, bem como violação do artigo 268 do Decreto Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal).

……………………………………………………………………………………………………………..

§ 2º O descumprimento das regras estabelecidas neste Decreto e nos protocolos específicos da Secretaria Estadual da Saúde poderá, mediante fiscalização das Vigilâncias Sanitárias estadual e municipais, ensejar aplicação das penalidades previstas no art. 161 da Lei nº 16.140, de 2 de outubro de 2007 e demais normas de regência, em especial multa, interdição do estabelecimento e cancelamento do alvará sanitário.” (NR)

“Art. 15-A. As atividades presenciais de organizações religiosas, nos períodos em que autorizado o funcionamento, sem prejuízo da observância, no que couber, das normas gerais previstas no artigo 6º deste Decreto, especialmente o uso obrigatório de máscaras,

deverão também observar protocolos específicos estabelecidos pela Secretaria de Estado da Saúde e disponibilizados na página eletrônica www.saude.go.gov.br/coronavirus (protocolos de funcionamento de atividades).” (NR)

“Art. 17. As suspensões e flexibilizações de atividades previstas neste Decreto, bem como o revezamento previsto no art. 2º, tanto em relação à necessidade quanto ao prazo, poderão ser revistos a qualquer momento, conforme análise da evolução da situação epidemiológica.” (NR)

Art. 3º Ficam reenumerados como § 1º, o parágrafo único do art. 3º e o parágrafo único do art. 6º, do Decreto nº 9.653, de 19 de abril de 2020.

Art. 4º Fica revogado o inciso VIII do art. 3º do Decreto nº 9.653, de 19 de abril de 2020.

Art. 5º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Continue Lendo
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com