Conecte-se conosco

Brasil

Cerrado registra mais focos de queimadas do que a Amazônia nos primeiros dias de setembro

Publicado

em

Se for considerado o período anual, de 1º de janeiro a 9 de setembro, a floresta ainda tem mais registros de fogo. De acordo com especialistas, calor extra no Cerrado pode estar ajudando a disseminar os focos.
Por Carolina Dantas, G1

O Cerrado registrou mais focos de queimadas nos primeiros dias de setembro do que a Amazônia, fenômeno inverso ao que foi visto durante o mês de agosto e desde o início do ano.

Do dia 1º até esta segunda-feira (9), foram 7.304 focos no Cerrado, contra 6.200 na floresta amazônica. No acumulado ano ano, o bioma Amazônia acumula 53.023 focos contra 34.839 do Cerrado

Nos últimos 30 dias (de 9 de agosto a 9 de setembro), a Amazônia registrou 30.245 focos, contra 17.438 do Cerrado. A tendência de crescimento das queimadas neste segundo bioma começou apenas na última semana do mês.

Os dados são do banco do Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e foram captados pelo satélite de referência Aqua.

Esse aumento no número de focos no Cerrado não foi visto no mesmo período de 2018. De acordo com o climatologista Carlos Nobre, membro da Academia Brasileira de Ciências e ex-pesquisador do Inpe, o fato provavelmente está relacionado a uma onda de calor que afeta o bioma nos últimos dias.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou um alerta de “Grande perigo” nesta terça-feira (10), que aponta risco para mais de 20 cidades do Mato Grosso, regiões do Cerrado. Há chance de a temperatura ficar pelo menos 5ºC acima da média nos próximos 5 dias.

“O que está acontecendo são dois fatores: o Cerrado está passando por uma rara onda de calor. É raríssimo este tipo de alerta [do Inmet]. Quando você tem este tipo de temperatura e uma baixíssima umidade, a situação do Cerrado fica muito inflamável” – Carlos Nobre, climatologista
De acordo com o pesquisador, há uma dinâmica no Cerrado. O bioma é adaptado ao fogo, mas não quando ele é aplicado em tamanha proporção pelos humanos. Existem árvores resistentes, mas não tão fortes a ponto de viver em um cenário tomado pelas queimadas.

“O Cerrado tem aquelas árvores com a casca resistente ao fogo. Tem 60% a 70% de cobertura de árvores, e 30% a 40% de cobertura de gramíneas, e, quando chega, o fogo atinge só as gramíneas, que depois crescem de novo. O Cerrado evoluiu milhões de anos. Mas hoje colocamos fogo demais e ele ainda não está preparado”.

Chuva
Assim como Nobre, Alberto Setzer, pesquisador do Programa Queimadas, diz que o fogo no Cerrado, e também na Amazônia, é de causa humana – intencional ou acidental. Ele explica que a única causa natural de fogo são os raios, fenômeno que ocorre durante a temporada de chuva no bioma. Não é o caso do Cerrado no momento.

Em uma análise dos dados do Inpe no início de setembro, constatou-se que ocorreu chuva em apenas em 176 dos 7.304 focos detectados pelo Aqua. O risco de fogo, previsto pelo instituto, era considerado crítico em 4.259 pontos de calor encontrados pelo satélite.

Os pesquisadores apontam que o calor e o tempo seco ajudam a “espalhar” o fogo, mas não a “criar” novos focos. O G1 mostrou em outra reportagem que a Amazônia apresentou neste ano os mais altos índices de chuva e de queimadas dos últimos quatro anos.

.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Tuka Rocha morreu queimado tentando salvar criança de 6 anos, diz Felipe Massa

Publicado

em

Por

O piloto Felipe Massa foi mais um amigo a lamentar a morte de Tuka Rocha, ex-piloto de Stock Car. Tuka tinha 36 anos e morreu às 6h20 de hoje. Ele estava no jatinho que caiu durante uma tentativa de pouso na pista de um resort em Barra Grande, Bahia, na quinta-feira (14). Ele é a terceira vítima fatal do acidente, depois das irmãs Marcela Brandão Elias, 37, e Maysa Marques Mussi, 27
Em um post no Instagram, Massa se disse muito triste com “a perda de um irmão” e diz que o amigo “foi um herói” pois teria voltado ao avião em chamas após a queda para tentar salvar outra vítima do acidente — um menino de seis anos.
Descanse em paz Tukinha. Estou muito triste com a perda de um irmão como você e de outras pessoas que estavam juntos nesse trágico acidente. Você foi um herói em voltar para salvar a vida de uma criança que estava no avião. Que Deus te receba de braços abertos. Do fundo do meu coração Muita força para seus familiares, para os que estão machucados e todos que estão sofrendo. Descanse em Paz maninho”.

Continue Lendo

Brasil

VÍDEO | Pedro Scooby é resgatado após 1min20 desaparecido em onda gigante em Nazaré. Confira

Veja a sequência de imagens aéreas com o resgate de Pedro Scooby em Nazaré. Brasileiro ficou por quase 1min20 desaparecido até ser resgatado e levado para a areia

Publicado

em

Por

Uma sequência de imagens feitas por um drone mostra com detalhes os momentos de tensão vividos pelo surfista Pedro Scooby depois de ser engolido por uma onda gigante na Praia do Norte, em Nazaré, na última quarta-feira. Confira no vídeo abaixo.

Pelas imagens aéreas, é possível ver que Scooby ficou quase 1min20s desaparecido até o alemão Sebastian Steudtner encontrá-lo com um jet ski para fazer o resgate. Steudtner, também surfista de ondas grandes e namorado da brasileira Maya Gabeira, conseguiu levar Scooby em segurança e ainda ajudou o brasileiro a se recuperar na areia.

Confira abaixo

Continue Lendo