Conecte-se conosco

Mundo

China, Rússia e demais vizinhos acenam ao Talibã

Publicado

em

CABUL — Enquanto os Estados Unidos e outros países ocidentais correm para fechar as embaixadas e remover seus cidadãos, nações vizinhas ao Afeganistão começam a se preparar para a convivência com o Talibã e apontam os dedos para os Estados Unidos. Quase 20 anos após a invasão americana derrubá-lo, o grupo extremista tomou Cabul no domingo, voltando efetivamente ao poder.

Até a manhã desta segunda, as embaixadas da China, da Rússia, do Paquistão continuavam a funcionar, algumas delas com pessoal reduzido. Nas últimas semanas, à medida que a volta do Talibã ao poder se tornava cada vez mais provável, chineses, russos e iranianos já sentavam-se à mesa com os insurgentes de olho na segurança de suas fronteiras.

Os primeiros pronunciamentos da vizinhança são mais amenos que os ocidentais: o mais contundente veio do Paquistão, acusado de financiar e apoiar o grupo fundamentalista desde seu surgimento, nos anos 1990. Em um vídeo transmitido pela televisão estatal no domingo, o premier Imran Khan aparece dizendo que o grupo “rompeu as correntes da escravidão mental”.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

China impõe isolamentos após novo surto de covid-19

Publicado

em

Por

  • Nas últimas 24 horas, foram 39 novos casos
  • Só na semana passada, foram 100
  • País tem conseguido controlar doença com testagem em massa

Milhares de moradores do Norte da China precisarão ficar em confinamento, após uma determinação das autoridades por conta dos novos casos de covid-19 registrados no país. Também foi requisitado que moradores da capital limitem seus deslocamentos.

Além disso, aqueles que vierem de uma região com surto ativo da doença, deverão apresentar um teste negativo para entrar na capital chinesa.

Nas últimas 24 horas, a China identificou 39 novos casos da doença. Na semana passada, foram registrados mais de 100. A alta do contágio tem relação com o deslocamento de viajantes.

O governo chinês tem usado uma política de “tolerância zero” contra o vírus, o que levou a uma reação rápida na imposição de restrições e na promoção de campanhas de testes nas regiões afetadas.

Depois de ser considerada o epicentro da pandemia no início de 2020, a China diminuiu drasticamente o contágio, principalmente com a testagem em massa, controle das fronteiras e ampla campanha de vacinação.

Continue Lendo

Mundo

Ataque com drone dos EUA mata um dos chefes da Al-Qaeda na Síria

Publicado

em

Por

Um ataque aéreo comandado pelos Estados Unidos na Síria matou Abdul Habid al-Matar, um dos chefes da organização terrorista Al-Qaeda, informou o Pentágono nesta sexta-feira (22).

De acordo com o porta-voz do Comando Central dos EUA, John Rigsbee, a ação foi feita com apoio de uma drone MQ-9.

“A eliminação desse líder da Al-Qaeda vai dificultar a capacidade da organização terrorista em fazer novos planos de ataques globais que ameacem os cidadãos dos EUA, nossos parceiros e civis inocentes”, disse Rigsbee, em comunicado.
Por enquanto, não há registro de vítimas colaterais do ataque — isto é, de civis não ligados ao alvo que tenham morrido ou se ferido em decorrência do bombardeio.
Há dois dias, uma explosão atingiu um pequeno posto militar dos EUA no sul da Síria. Não houve mortes. Ainda não está claro se a ação contra esse chefe da Al-Qaeda foi uma forma de retaliar o ataque aos soldados americanos.

Continue Lendo