Conecte-se conosco

Brasil

Confira o que você precisa saber para começar a sexta-feira: 600 reais para trabalhador, Bolsonaro pula no esgoto, achatamento de curva e muito mais

Publicado

em

Câmara aprova projeto que concede R$ 600 a trabalhadores informais durante a crise, Brasil tem 77 mortes por covid-19 e casos sobem para quase 3 mil, levantamento mostra que isolamento começou a achatar curva do vírus em São Paulo, casos confirmados no mundo chegam a meio milhão e como vão funcionar os hospitais de campanha na capital paulista.

Confira o que você precisa saber para começar a sexta-feira, dia 27 de março de 2020:

Câmara aprova projeto que concede R$ 600 a trabalhadores informais durante a crise

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira, em sessão virtual e de forma simbólica, um projeto que concede R$ 600 mensais aos trabalhadores informais durante a crise do coronavírus. Batizado de “coronavoucher”, o benefício inicialmente proposto pelo governo era de R$ 200. Durante a semana, líderes da Câmara chegaram a um consenso para alterar o valor para R$ 500. No último momento, para evitar uma derrota política, o presidente Jair Bolsonaro orientou o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), a propor um valor de R$ 600.

Brasil tem 77 mortos por Covid-19; casos sobem para 2.915

O Ministério da Saúde atualizou para 77 o número de mortes em decorrência do novo coronavírus no Brasil nesta quinta-feira (26). Ao todo, também foram confirmados 2.915 casos da Covid-19 no país. Até quarta, eram 57 mortes e 2.433 casos confirmados no Brasil.

Isolamento começou a achatar a curva de coronavírus em SP

Um levantamento indica que o distanciamento social diminuiu a taxa de crescimento dos casos de coronavírus no estado de São Paulo. Os dados do Ministério da Saúde, compilados pelo professor de física da Universidade de São Paulo (USP) José Fernando Diniz Chubaci, comparam os crescimentos do estado de São Paulo, do Brasil e do país sem o estado de São Paulo. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Casos confirmados passam de meio milhão no mundo, diz OMS

O número de casos confirmados de coronavírus no mundo desde o começo da pandemia ultrapassou meio milhão de pessoas nesta quinta-feira (26). Às 14h30 (horário do Brasil), havia 510.018 casos registrados desde que o primeiro alerta apareceu na China, no final do ano passado.

Bolsonaro: ‘Brasileiro pula no esgoto e nada acontece’

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou no final da tarde desta quinta-feira (26) que o brasileiro “precisa ser estudado” por ser, segundo ele, capaz de pular “no esgoto” sem que nada aconteça. A frase foi dita ao comentar a propagação do novo coronavírus no Brasil.

Segurança de Bolsonaro tem covid-19 e está internado em estado grave

Ari Celso Rocha Lima de Barros tem 39 anos e deu entrada no Hospital de Base do Distrito Federal na quarta-feira (25). Ele é capitão da Polícia Militar do Distrito Federal e foi diagnosticado com a doença no dia 19 de março. Ele cumpria isolamento domiciliar, mas o quadro piorou. Nesta quinta, o segurança foi transferido para o HRAN (Hospital Regional da Asa Norte), referência no tratamento da doença no Distrito Federal.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

LUTO | Brasil tem recorde de mortes de Coronavírus em 24 horas com 1.349 óbitos registrados

Publicado

em

Por

Brasil registra 1.349 mortes por coronavírus e bate novo recorde diário; total é de 32.548

Em apenas 24 horas, foram contabilizados mais 28.633 casos de Covid-19; país chega a 584.016 confirmações.

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (3) seu mais recente balanço com as atualizações de casos e mortes por complicações do coronavírus Sars-Cov-2 no Brasil. Os principais dados são:

32.548 mortes, eram 31.199 na terça (2)

Foram 1.349 registros de morte incluídos em 24 horas

584.016 casos confirmados, eram 555.383 na terça

Foram incluídos 28.633 casos em 24 horas

312.851 pacientes estão em acompanhamento (53,6%)

238.617 pacientes estão recuperados (40,9%)

O balanço da quarta-feira registrou também 408 mortes que aconteceram nos últimos 3 dias. Além disso, segundo o Ministério da Saúde, há mais 4.115 suspeitas que estão sob investigação.

Continue Lendo

Brasil

Bolsonaro diz não ao socorro para estados e Rodrigo Maia costura pra derrubar veto presidencial

Publicado

em

Por

Setores do Congresso Nacional se movimentam para que o veto do presidente Jair Bolsonaro que impediu repasses de R$ 8,6 bilhões para estados e municípios  seja derrubado.

O projeto original aprovado pelo Congresso previa a extinção do Fundo de Reserva Monetária, mantido Banco Central, e a destinação dos recursos para o enfrentamento da pandemia. Mas Bolsonaro vetou todos os dispositivos que vinculavam o uso do dinheiro à batalha contra o coronavírus.

Vetos presidenciais precisam ser confirmados por deputados e senadores em sessão conjunta. O líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), tenta negociar com o presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) uma data para análise dos vetos.Vetos presidenciais precisam ser confirmados por deputados e senadores em sessão conjunta. O líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), tenta negociar com o presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) uma data para análise dos vetos.

“Desde ontem estamos cobrando do presidente Davi que reúna o congresso presencialmente para apreciar os vetos ao PLS 873 (ampliação do auxílio emergencial) e ao PLP de ajuda aos estados. Vamos incluir mais esse na cobrança”.

Davi Alcolumbre disse na sessão do Senado desta quarta-feira que pretende convocar uma sessão do Congresso na próxima semana.

O deputado Luís Miranda (DEM-DF), que foi relator do texto na Câmara, disse que a ação de Bolsonaro representa uma quebra de compromisso assumido pelo governo.

“Houve acordo com o governo, a gente consultou o Ministério da Economia e o Banco Central. O líder do governo no Senado foi o relator da matéria quando chegou ao Senado”, declarou ao Congresso em Foco Premium.

O deputado do DEM afirmou que o presidente centraliza as ações do governo e que diálogos construídos entre ministros e Congresso perdem a força na gestão de Bolsonaro.

“A revolta de todo mundo é que parece que o presidente quer mandar um recado para o Congresso dizendo que é ele que manda, não adianta falar com os ministros dele, falar com a equipe técnica dele, ter pareceres do governo porque o governo é de um homem só. O veto vai ser derrubado”.

A decisão de Bolsonaro foi amplamente criticada nas redes sociais, sobretudo por congressistas de oposição.

No entanto, pelo menos por enquanto, as críticas em relação a matéria não tem reverberado nos partidos do Centrão, que estão se aproximando do governo. O bloco informal de centro e direita ainda não se posicionou sobre o tema.

O líder do Solidariedade na Câmara, Zé Silva (MG), disse que ainda não há uma articulação dos partidos sobre o veto.

Continue Lendo