Conecte-se conosco

Brasil

Estudantes criam câmara que descontamina até 50 máscaras em 5 minutos

Publicado

em

Os estudantes da Unilab, no Ceará, estão finalizando a produção de uma câmara que consegue descontaminar até 50 máscaras e EPIs em apenas 5 minutos. Os itens reutilizáveis serão doados aos hospitais do SUS.

A produção iniciou em outubro de 2020 e tem previsão de término para o fim deste mês.

Tudo começou depois que eles receberam o convite da “The Optical Society” (OSA), nos Estados Unidos, para a produção e pesquisa da câmara de descontaminação para máscaras cirúrgicas no modelo N95.

O grupo é composto por estudantes de Engenharia e Energias e Engenharia da Computação do Instituto de Engenharias e Desenvolvimento Sustentável (IEDS).

Protocolo de Oxford

Apesar de ser fabricada no Brasil, a câmara de descontaminação segue o protocolo de construção previamente elaborado pela Universidade de Oxford, na Inglaterra.

Um protótipo foi desenvolvido no laboratório do Campus das Auroras, em Redenção/CE, com utilização de lâmpadas de radiação ultravioleta.

Com os primeiros testes apresentando resultados positivos, os estudantes partiram para a construção definitiva e completa da câmara.

Gefferson Fernandes, aluno líder do projeto, disse que foi um orgulho imenso ter sido aprovado durante o processo seletivo interno da Unilab para participar dessa iniciativa de nível internacional.

“O impacto que a gente quer causar é que ele de fato fique na comunidade, em Redenção”, explica o estudante.

Como funciona

Sabe-se que após exposição radioativa, é possível a reutilização da máscara N95. Com a câmara, o professor orientador do projeto, Dr. Sabi Yari Moïse Bandiri, diz ser possível descontaminar até 50 peças por vez.

O custo do equipamento foi calculado em US $1.300 (aproximadamente 6,5 mil reais). A maior parte do valor destina-se à instalação de 16 lâmpadas UV-C, que são lâmpadas “germicidas” especiais que emitem luz ultravioleta de alta intensidade, para purifica o ar, a água e superfícies sem o uso de substâncias químicas agressivas, que são nocivas para o meio ambiente.

As máscaras de proteção (N95) ficam durante cinco minutos em exposição à radiação ultravioleta, com comprimentos de onda entre 200 nm e 280 nm (UV-C). Após esse tempo, os EPIs ficam seguros para novo uso pelos profissionais de saúde.

Após a finalização de todas as etapas do projeto, a câmara de descontaminação será doada para o Hospital Filantrópico do município de Redenção, no Ceará.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Criança de 6 anos tem traumatismo craniano após cair de atração no Beto Carrero World

Publicado

em

Por

Uma criança de 6 anos foi levada ao hospital em estado grave após cair de uma atração no Beto Carrero World em Penha, no Litoral Norte catarinense, no sábado (19). Segundo a administração do local, o menino estava na estrutura de uma estátua de um gorila, onde os visitantes costumam tirar fotos, quando ocorreu o acidente. Ele foi operado e o quadro de saúde é considerado grave.
O garoto foi levado ao pronto-socorro e depois encaminhado ao hospital. Ele sofreu traumatismo craniano, segundo uma familiar.
O acidente ocorreu por volta das 16h e estava chovendo no local. A família do menino, que é de Curitiba (PR), estava comemorando o aniversário da criança no parque temático.
De acordo com o Hospital Pequeno Anjo, em Itajaí, na mesma região, nesta segunda-feira (21) a situação do menino era estável e ele seguia internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), respirando com ajuda de aparelho.
Em nota, o Beto Carrero World afirmou que atendeu o menino após a queda e que está prestando apoio para a família.

Continue Lendo

Brasil

Enfermeiro carrega no colo homem com deficiência após vacinação: empatia

Publicado

em

Por

Não cansamos de homenagear os profissionais da saúde, nossos heróis da vida real nessa pandemia. Agora é a vez do enfermeiro que carregou no colo um paciente com deficiência, depois de vaciná-lo, para que ele não se arrastasse no chão.

O nome desse profissional brasileiro cheio de empatia e solidariedade é Elionaldo Venâncio. Ele trabalha em Campina Grande, na Paraíba.

As fotos de Elionaldo vacinando e depois carregando o paciente até a motocicleta adaptada receberam muitos elogios nas redes sociais.

Elas foram postadas no perfil da Secretaria Municipal de Saúde de Campina Grande.

A história

Ao ver a deficiência do homem que foi até a Unidade Básica de Saúde (UBS) Ronaldo Cunha Lima para se vacinar, Elionaldo o atendeu prontamente.

Primeiro colocou o homem em uma cadeira e aplicou a vacina.

Na hora de ir embora, Elionaldo pegou o homem nos braços, o levou para o lado de fora da UBS e o colocou na moto adaptada, para que seguisse para casa.

Elogios ao enfermeiro

A Secretaria de Saúde postou a história no Instagram na última terça-feira, 15, dizendo:

“Uma imagem que diz tudo. O enfermeiro Elionaldo Venâncio, da UBS Ronaldo Cunha Lima, vacinou um cidadão atendido na unidade que tem deficiência e depois levou o homem no braço para a sua motocicleta adaptada. É sobre isso!”.

O post teve quase 5 mil curtidas e centenas de elogios ao enfermeiro:

“Aplausos! Amor ao próximo é isso”, escreveu uma seguidora.

“Parabéns um gesto de amor”, comentou outra.

“Grande Léo! És um exemplo para todos nós”, disse outra

Continue Lendo