Conecte-se conosco

Brasil

Filha homenageia pais agricultores com fotos de formatura no campo

Publicado

em

Fotos de formatura de uma universitária homenageando os pais agricultores viralizaram depois que a universidade compartilhou as imagens no Facebook. (post abaixo)

Jessica Rocha se formou em sociologia na Universidade de San Diego, Califórnia, no sábado, 12, e tirou fotos com os pais nos campos onde eles deram duro para que ela pudesse vencer e se formar.

No post, a formanda disse que seus pais vieram de Michoacán, no México. Enquanto a filha crescia, ela trabalhava no campo ao lado deles para “entender como era importante buscar um ensino superior”.

Trabalho com os pais

Jessica trabalhava durante a noite com o pai e plantava morangos, após as aulas. Ela terminava por volta das 2 ou 3 da madrugada e acordava às 5 da manhã para pegar o ônibus municipal da escola.

Ela disse que continuou a trabalhar nos campos nos fins de semana e nas férias escolares, mesmo depois de ir para a faculdade e trabalhar no Departamento de Polícia da Universidade da Califórnia. Ela contou que os pais foram sua motivação.

“Muitas vezes eu quis desistir, mas meus pais, os conselhos e apoio deles foram a razão de eu continuar”, disse Rocha. “Se não fosse pela forma como meus pais me criaram, eu não sei quem eu seria hoje.”

Fotos virais

Uma das imagens da sessão de fotos mostra Rocha e seus pais segurando o boné de formatura da filha sobre arbustos de pimentão.

Outras fotos mostram a jovem carregando um balde no ombro direito. Nas redes sociais, muitos elogiaram pelo empenho e desejaram sorte para a formanda

“O trabalho no campo constrói e molda um tipo diferente de caráter”, afirmou a garota.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Confederação Israelita lamenta encontro de bolsnaristas com política alemã, neta de ministro nazista

Publicado

em

Por

Confederação Israelita do Brasil lamentou encontro entre parlamentares brasileiros e política alemã de partido conservador

Em nota, a Conib não citou quem foram os deputados que receberam Beatrix von Storch; nas redes sociais, Bia Kicis e Eduardo Bolsonaro compartilharam fotos com a alemã

Beatrix von Storch é neta de um ex-ministro da Alemanha Nazista e conhecida por declarações públicas xenofóbicas

A Confederação Israelita do Brasil (Conib) lamentou que uma política alemã, representante do partido Alternativa para a Alemanha, tenha sido recebida em Brasília. Beatrix von Storch se encontrou com parlamentares bolsonaristas, como Bia Kicis (PSL-DF) e Eduardo Bolsonaro (PSL-DF)

Em nota, a Conib não citou os deputados que encontraram von Storch, mas caracterizou o partido alemão como “extremista, xenófobo, cujos líderes minimizam as atrocidades nazistas e o Holocausto”.

“O Brasil é um país diverso, pluralista, que tem tradição de acolhimento a imigrantes. A Conib defende e busca representar a tolerância, a diversidade e a pluralidade que definem a nossa comunidade, valores estranhos a esse partido xenófobo e extremista”, declarou a entidade.

O encontro foi divulgado nas redes sociais de Eduardo Bolsonaro. “Excelente encontro com a Deputada Federal alemã Beatrix von Storch, que também é vice-presidente do partido Alternativa Para Alemanha. Somos unidos por ideais de defesa da família, proteção das fronteiras e cultura nacional”, escreveu o filho do presidente Jair Bolsonaro.

Bia Kicis também compartilhou uma foto com a parlamentar alemã e caracterizou o partido como “o maior partido conservador” do país. “Hoje recebi a deputada Beatrix von Storch, do Partido Alternativa para Alemanha, o maior partido conservador daquele país. Conservadores do mundo se unindo para defender valores cristãos e a família.”

Beatrix von Storch é vice-líder do partido, além de ser neta de Lutz Graf Schwerin von Krosigk, ministro nazista das Finanças. A política também é conhecida por manifestações pública xenefóbicas.

Além da Conib, o Museu do Holocausto de Curitiba também expressou preocupação com o encontro. “É evidente a preocupação e a inquietude que esta aproximação entre tal figura parlamentar brasileira e Beatrix von Storch representam para os esforços de construção de uma memória coletiva do Holocausto no Brasil e para nossa própria democracia.”

Continue Lendo

Brasil

Reforma do IR proposta por Guedes visa beneficiar dentistas e médicos

Publicado

em

Por

Projeto isentaria dividendos de até R$ 20 mil

Profissionais costumam receber seus vencimentos por meio de dividendos desde 1995

Objetivo é tributar os mais afluentes, desonerar empresas e assalariados

O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou nessa quinta-feira (22/07) que pode aumentar a faixa de isenção da taxação prevista na reforma do Imposto de Renda para não afetar “dentista, médico, profissional liberal”. Essas categorias, que seriam cobradas pelo imposto sobre dividendos, começaram a pressionar por mudanças na proposta apresentada pelo governo ao Congresso.

Num evento da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o responsável pela pasta reconheceu as propostas recebidas para a reforma tributária. “Quero agradecer o apoio de todo mundo que está nos ajudando, levando sugestões, dizendo ‘ó, cuidado que isso aqui é errado’. Eu começo as conversas sempre muito francamente, e falo: pessoal pago 20% do dividendo. ‘Ah não, mas vai pegar os profissionais liberais’. Isenção até R$ 20 mil, pronto. Se precisar até subir um pouquinho, sobe mais um pouco”, disse Guedes

O projeto em discussão na Câmara dos Deputados prevê uma taxa de 20% sobre dividendos, mas estabelece uma faixa de isenção de R$ 20 mil mensais. A parcela é voltada exclusivamente para empresas pequenas e médias, como as do Simples Nacional e do Microempreendedor Individual (MEI).

Já os profissionais como médicos e advogados costumam receber seus vencimentos por meio de dividendos, dos quais são isentos desde 1995. Logo, a taxação abarcaria esse grupo. “Não quero mexer com dentista, médico, profissional liberal, não é isso. Não queremos atingir a classe média, nada disso. Queremos tributar os mais afluentes e desonerar as empresas e os assalariados”, explicou o ministro.

Continue Lendo