Conecte-se conosco

Capital

Gestão Iris flagra no primeiro dia de operação, 154 comércios funcionando irregularmente em Goiânia

Envolvendo órgãos de segurança e fiscalização municipal e estadual, a operação conta com a participação de cerca de 80 auditores fiscais, guardas civis, policiais militares e bombeiros militares

Publicado

em

No primeiro dia da Operação Fecha Tudo realizada pela Prefeitura de Goiânia em parceria com o Governo de Goiás para monitorar o cumprimento do decreto estadual que determina o fechamento do comércio em virtude da pandemia do Coronavírus (Covid-19), as equipes de fiscalização encontraram cerca de 150 estabelecimentos funcionando irregularmente na região sudoeste da capital, escolhida para iniciar a operação devido ao alto índice de denúncias recebidas pelo Centro de Operações Municipais (Copom). 

Além de estabelecimentos que estavam funcionando normalmente na região, as equipes de fiscalização também constataram que alguns estavam com as portas entreabertas, mas atendendo normalmente aos clientes. “Muitos estabelecimentos estão buscando meios para burlar a fiscalização e continuar a atender aos clientes mesmo com a proibição. O intuito dessa fiscalização, num primeiro momento, é orientar esses comércios para a irregularidade que estão cometendo e que, caso teimem em descumprir a determinação, poderão ser autuados e até mesmo interditados”, afirma Luiz Lucas Alves Júnior, Diretor de Fiscalização da Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação.

Dos 150 locais visitados nesta quarta-feira, 24/3, 57 estabelecimentos foram notificados, um foi autuado por instalar equipamento (quiosque) para venda de produtos em área pública municipal sem a devida autorização do município, e um auto de apreensão foi expedido para ambulante, que além de estar descumprindo o decreto, não tem autorização da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (Sedetec) para exercer a atividade.

A operação terá continuidade nesta quinta-feira, 26/3, dessa vez nas outras regiões da capital, tendo como foco as denúncias recebidas por meio do aplicativo “Prefeitura 24 horas”, da Prefeitura de Goiânia, do serviço de Ouvidoria do Governo de Goiás – www.cge.go.gov.br/ouvidoria/ – e do Copom, por meio do telefone 190.

William Assunção, a editoria de Planejamento Urbano e Habitação

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Capital

MINISTÉRIO PÚBLICO | Fernando Krebs recomenda retirada de fotos do prefeito Iris de repartições públicas

Publicado

em

Por

Restando exatos quatro meses para eleição de outubro 04, que irá definir o próximo prefeito de Goiânia, o Ministério Público de Goiás, da 57ª Promotoria de Justiça de Goiânia, representada pelo Promotor de Justiça, Fernando Aurvalle Krebs, recomendou a retirada de fotos expostas do prefeito Iris Rezende (MDB) de repartições públicas e órgãos da administração do executivo.

Iris tem dedicado atenção e foco da gestão no combate à pandemia do Coronavírus na capital e cumprimento do rígido cronograma de obras a serem entregues até final do mandato e não se posicionou ainda sobre candidatura a reeleição.

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), foi recomendado pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) para retirar de todas as repartições e órgãos públicos da Capital as fotografias de agentes públicos.

A Constituição Federal determina que a publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social. 

Krebs entende que não podem constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos. Ele observou que existem fotografias emolduradas do prefeito Iris Rezende por diversas repartições públicas municipais da Capital. 

E, isso, estaria violando a Constituição Federal. E lembrou que já existe jurisprudência do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO), posicionando-se de forma contrária à afixação das fotografias do chefe do Poder Executivo em repartições públicas, por desrespeitar os princípios constitucionais da impessoalidade e da moralidade, se tornando em autopromoção. 

Continue Lendo

Capital

SECOM | Confira aqui todos decretos e normativas da prefeitura de Goiânia no combate à pandemia do COVID-19

Publicado

em

Por

Antes mesmo da chegada do novo coronavírus no Brasil, o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, já havia determinado medidas de contingenciamento para o enfrentamento da pandemia na capital. Com os primeiros registros da doença em terras goianas, ações da administração municipal foram intensificadas e a cada dia são reforçadas para proteger a população e manter a máquina pública funcionando.

Documentos, formas de contágio e prevenção, endereços das unidades, notícias e vídeos também estão disponíveis aqui no:  Goiânia contra o Coronavírus e no site da Secretaria Municipal de Saúde

Na área social, a gestão municipal anunciou 100 mil cestas básicas que serão distribuídas às famílias da capital nos próximos dias. A compra é realizada pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), que faz o cadastro e controle da distribuição dos itens. 

Acompanhe abaixo os atos da administração pública municipal editados como medidas para conter o avanço da pandemia de coronavírus em Goiânia.Clique nos links para ter acesso à íntegra dos documentos.

Decreto 736, de 13 de março de 2020

-Declara Goiânia em situação de Emergência em Saúde Pública

Dispensa de licitação para aquisição de bens, serviços e insumos de saúde destinados ao enfrentamento da emergência e cria o Centro de Operações de Emergência em Saúde – COVID-19, coordenado pela Secretaria Municipal de Saúde, para monitoramento da emergência, além da recomendação para que pessoas sintomáticas não frequentem locais públicos entre outras medidas.

-Suspensão da agenda cultural e de lazer

Suspende a realização de quaisquer eventos da Administração Pública Municipal ou por ela autorizados em que ocorram a aglomeração de pessoas e cancelou a agenda cultural e de lazer, suspendendo, também, apresentações da Orquestra Sinfônica, a programação do Mercado da 74, do Teatro Goiânia Ouro, do Chorinho na Avenida Goiás e as visitações públicas ao Parque Mutirama e ao Zoológico de Goiânia, que reúnem milhares de pessoas, sobretudo aos finais de semana. Cancelou ainda os Mutirões programados e frentes de serviço e adiou a realização do 3º Encontro de Gestores da Prefeitura de Goiânia, que ocorreria no dia 17 de março.

Decreto 751, de 16 de março de 2020

-Suspende as atividades letivas na rede municipal de ensino por 15 dias. A medida foi tomada pelo prefeito após encontro com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado.

-Veda a realização das Feiras Especiais cadastradas junto à Sedetec, bem como a abertura do Centro Comercial Popular, Mercado Aberto e dos mercados públicos municipais, a partir do dia 19 de março de 2020.

-Autoriza abordagens de orientação e aplicação de penalidades pelos órgãos de fiscalização pública municipal nos eventos com aglomeração de pessoas, bem como em festas, shows, circos, parques de diversões, exposições, boates, casas noturnas, bares, restaurantes, teatros, cinemas e academias.

-Determina a suspensão das atividades do Clube do Povo e Clube Morada Nova (Centro Esportivo), a adequação no atendimento presencial na rede Atende Fácil, que passou a exigir agendamento prévio dos contribuintes, e o cancelamento dos atendimentos presenciais nos Postos de Atendimento Integrado ao Trabalhador (SINE)

-Orienta as realizações de escalas de horários no serviço público e veda a concessão de afastamentos legais como férias, licença prêmio e licença por interesse particular aos servidores da área da saúde e autoriza a Secretária Municipal de Saúde a convocar os servidores que se encontram afastados nestes termos.

Decreto 784, de 18 de março de 2020

-Estabelece o sistema de rodízio entre os servidores municipais para reduzir a circulação de pessoas e possibilidade de contágio nas unidades administrativas.

Decreto 799, de 23 de março de 2020

-Decreta Situação de Calamidade no Município de Goiânia e permite ao município adotar medidas orçamentárias não previstas e remanejamento de pessoal para a área da saúde para o enfrentamento do Coronavirus.

Decreto 829, de 24 de março de 2020

-Instala o Gabinete de Gestão de Crise COVID-19 para acompanhar as ações de combate à doença na capital. Além da participação do prefeito Iris Rezende, o grupo de trabalho é formado por representantes das secretarias de Governo; Saúde; Educação e Esporte; Finanças; Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia; Administração; Comunicação; Procuradoria; e Guarda Civil.

Decreto 830, de 24 de março de 2020

-Determina como regra a adoção do sistema home work de trabalho no serviço público municipal. As atividades passam a ser realizadas de forma remota, mantendo-se presencialmente o quantitativo mínimo suficiente de servidores para que não prejudique os usuários dos serviços públicos. O novo sistema beneficia prioritariamente servidores com 60 anos ou mais; servidores com histórico de doenças crônicas ou respiratórias; trabalhadoras grávidas; e servidores com filhos em idade escolar que exijam cuidados.

-Fixa o horário de expediente entre às 7h e 13h em todos os órgãos da administração.

Decreto 847, de 26 de março de 2020

-Autoriza a continuidade das obras relativas à adequada manutenção da infraestrutura do Município de Goiânia, cuja interrupção possa comprometer a segurança da população ou caracterizar risco de vida.

Decreto 849, de 27 de março de 2020

– Dispõe sobre a suspensão de prazos administrativos no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Poder Executivo do Município de Goiânia

Decreto 896, de 13 de abril de 2020

– Adota medidas emergenciais para redução das despesas de pessoal e garantia de pagamento da folha. As medidas, que visam salvar vidas, minimizar o reflexo econômico da crise mundial e preservar a qualidade dos serviços prestados aos goianienses, são respostas à perda brusca de receita.

Nota técnica, 23 de abril de 202

-A Prefeitura de Goiânia por meio da Gestão de Crise COVID-19, instituído pelo Decreto n.° 829, de 24 de março de 2020, orienta à adesão a todas as normativas do Decreto estadual n.° 9.653/2020.

Decreto 950, 28 de abril de 2020

-Cria a Central de Fiscalização Covid-19.

Por meio da Central, a Vigilância Sanitária do Município ganha amplos poderes de fiscalização, com direto a autuar, ou até mesmo interditar atividades comerciais que descumprem o Decreto nº 9.653, publicado no último dia 19 de abril pelo do Governo de Goiás. A Central é composta por servidores da Secretaria Municipal da Saúde, Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação, Secretaria Municipal de Finanças, Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia, Agência Municipal de Meio Ambiente, Agência da Guarda Civil Metropolitana de Goiânia e coordenada pelo diretor de Vigilância Sanitária e Ambiental da Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, Dagoberto Costa.

Decreto 951, 28/4/202

-Escalonamento de horários para o início de expediente comercial.

Por este Decreto Municipal, os vários segmentos das atividades econômicas estabelecidos no município de Goiânia, que já têm autorização para funcionar, de acordo com as normas do Decreto nº 9.653, publicado no último dia 19 de abril pelo do Governo de Goiás, deverão obedecer uma escala de horários para o início de atendimento ao público e para início do turno de trabalho dos seus colaboradores. Estabelece escala com cinco intervalos de horários distintos para o início do funcionamento das empresas, começando às 5h da manhã e prosseguindo até às 10h, com intervalo de abertura de uma hora entre cada segmento.

Nota Técnica, 30 de abril de 2020

-A SMS recomenda a não flexibilização das atividades não essenciais, além daquelas já previstas no Decreto Estadual 9.653, do último dia 19 de abril. 

Decreto 1041, de 15 de maio de 2020

– Comissão de acompanhamento e distribuição das cestas básicas

-Cria a comissão que irá acompanhar distribuição de cestas básicas e institui a participação de cinco pastas e quatro órgãos externos. O objetivo é dar mais transparência e agilidade ao processo que pretende entregar os alimentos a cerca de cem mil famílias em vulnerabilidade social.Participam da Comissão, representantes da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), Secretaria de Governo (SEGOV), Secretaria de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas (SDHPA), Procuradoria Geral e Controladoria do Município. Foram convidados a participar, Câmara Municipal de Goiânia, Tribunal de Contas dos Municípios, Defensoria Pública do Estado de Goiás e Ministério Público (MP-GO).

Decreto 1042, de 15 de maio de 2020 

– Altera os decretos 751 e 786 – Expediente e home oficce

– Amplia a ordem de prioridade dos servidores do município para o teletrabalho e define outras providências a serem observadas no âmbito da administração municipal. Horário de expediente volta a ser integral (das 8 às 18h) em todos os órgãos para ampliar o período de atendimento presencial, diminuindo assim as aglomerações; o home office e o revezamento dos servidores, que atuam presencialmente, permanecem como regra; na Saúde, o documento veda a concessão de afastamentos legais como férias, licença prêmio por assiduidade e licença para tratar de interesse particular para os servidores, excetuando a concessão de licença prêmio por assiduidade após o término de licença maternidade. Também estão proibidos os afastamentos para exercício em outro órgão ou entidade da administração pública, inclusive do próprio Município.

Decreto Decreto 1043, de 15 de maio de 2020

-Medias preventivas e de transparência

-Determina que todos os órgãos e entidades da Administração Pública Municipal empreendam imediatas medidas preventivas e de transparência aos órgãos de controle como o Tribunal de Contas dos Municípios do Estado de Goiás (TCM-GO); que os órgãos da gestão preservem “alimentadas às bases de dados do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado de Goiás (licitações e contratos, despesas e receitas, dentre outras, na periodicidade regrada)”; o documento ainda instrui que seja remetido “imediatamente ao TCM-GO, por meio eletrônico, informações e documentos previstos na IN n.º 12/18 do TCM-GO (plataforma COLARE), relativos a procedimentos licitatórios e dispensas decorrentes do COVID-19.

Decreto 1044, de 15 de maio de 2020 

– Plano de Contingenciamento

– Veta a realização de novas obras; aditivação de contratos em vigor; nomeação de servidores comissionados, temporários e efetivos, entre outras medidas. Objetivo é frear gastos que poderiam somar R$ 170 milhões. Só em abril, perdas de Goiânia alcançam R$ 121 milhões, mais de 30% abaixo do previsto. Individualmente, a maior parte das reduções decorrem da anulação de Empenhos – reserva de recursos para cobrir despesas com a aquisição de bens e serviços contratados. O valor chega a R$ 44 milhões.

Decreto 1050, de 18 de maio de 2020

-Determina que o escalonamento de horários de funcionamento do comércio, indústria e serviços essenciais em Goiânia (aqueles que tem permissão para funcionar de acordo com o Decreto Estadual 9653, de 19/04/2020) passa a ser obrigatório na capital. Pelo documento, a fiscalização tem autonomia para notificar, multar ou interditar estabelecimentos conforme as regras da Vigilância Sanitária. 

Decreto 1113, de 29 de maio de 2020

-Mercados Municipais, área administrativa das imobiliárias, treinos de futebol profissional

Estabelece as regras de reabertura de alguns segmentos dentro do plano do retorno seguro de setores que tiveram as atividades suspensas em decorrência das medidas para enfrentamento e prevenção da covid-19. A partir da segunda-feira (1º/06) retornam a área administrativa das imobiliárias; mercados públicos municipais e centros de treinamento de atletas profissionais de times oficiais de futebol.

Nota técnica 07, de 29 de maio de 2020

-Regras de funcionamento da área administrativa das imobiliárias, treinos de futebol e mercados municipais

Secretaria Municipal de Comunicação (Secom)

Continue Lendo