Conecte-se conosco

Capital

Goiânia é uma das nove capitais brasileiras que estão em dia com suas obrigações financeiras junto à União

Levantamento feito a partir de consulta ao banco de dados no Cauc (Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias), controlado pela Secretaria do Tesouro Nacional, apurou a situação fiscal e financeira das capitais brasileiras. Apenas nove estão regulares junto aos órgãos federais.

Publicado

em

De acordo com reportagem publicada pelo portal UOL, Goiânia figura entre as noves capitais brasileiras que estão adimplentes com suas obrigações junto ao Tesouro Nacional. Segundo o levantamento, feito a partir da consulta ao banco de dados do Cauc (Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias), controlado pela Secretaria do Tesouro Nacional, a capital goiana cumpre todos os 15 requisitos avaliados pelo STN para dizer se um ente da federação estaria em condições de obter empréstimo com aval da União.

Entre os requisitos para atestar o chamado “nome limpo” do Estado ou Município, o Cauc analisa 15 itens, entre eles o envio de prestações de contas, investimentos mínimos em saúde e educação e cumprimento de obrigações de convênios. Uma inconformidade apenas já é suficiente para que o ente federativo não receba recursos.

Ao assumir a administração municipal, em janeiro de 2017, o prefeito Iris Rezende tornou público um quadro de completo descalabro fiscal e financeiro. O Município estava imerso em dívidas imediatas que alcançavam quase R$ 1 bilhão e um déficit mensal superior a R$ 30 milhões. Uma folha dos servidores da saúde estava em aberto e o caixa absolutamente vazio.

O trabalho de recuperação fiscal e reequilíbrio das contas de Goiânia demandou um grande esforço da gestão Iris Rezende. Fundamental para a recuperação das finanças públicas, a reforma da previdência municipal começou a ser enfrentada já no início do governo Iris Rezende. Em 2018, o prefeito concluiu a reforma da previdência municipal e pôs fim a um déficit de R$ 35 milhões mensais, o que aliviou substancialmente o caixa do município.

Ao final de 2018, Iris Rezende comemorou o reequilíbrio das contas e um superávit primário de mais de R$ 180 milhões. O cumprimento dos índices constitucionais foram alcançados com folga e Goiânia foi uma das poucas cidades com mais de 1 milhão de habitantes que obteve superávit orçamentário, o que foi possível graças a um competente e responsável trabalho de execução orçamentária.

Até o primeiro quadrimestre de 2019, os investimentos cresceram 54,67% em Goiânia, em relação ao mesmo período do ano passado. Foram investidos R$ 28,8 milhões nos quatro primeiros meses deste ano. O pacote de obras que está sendo lançado na Capital, no entanto, deve elevar esse número a quase R$ 1 bilhão até o final da gestão, em 2020.

Com um dos menores índices de invidamento entre todas as capitais do país, Goiânia compromete hoje apenas 21,77% da sua Receita Corrente Líquida, quando o máximo permitido por resolução do Senado é de 120% da RCL. Com nota B no Capag – Capacidade de Pagamento, atestada pela Secretaria do Tesouro Nacional, Goiânia estaria apta a contrair até mais R$ 5 bilhões em empréstimos garantidos pela União.

 

 

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Capital

Andrey Azeredo manda recado para Francisco Júnior: “não existem projetos para o futuro renegando experiências do passado”

Vereador de Goiânia pelo MDB, Andrey chama de oportunismo a discussão lançada pelo deputado federal e pré-candidato à Prefeitura de Goiânia, que chamou de improviso a gestão do atual prefeito Iris Rezende. Francisco Júnior foi secretário de Iris durante o 2º mandato do emedebista, entre 2005 e 2008

Publicado

em

Por

O vereador de Goiânia Andrey Azeredo (MDB) usou a sua conta do Twitter para mandar um recado ao pré-candidato a prefeito de Goiânia pelo PSD, deputado federal Francisco Júnior. Andrey questiona a atitude do deputado, que chamou de improvisada a gestão de Iris Rezende à frente do executivo municipal. Segundo o emedebista, não existe projeto para o futuro renegando as experiências do passado.

Andrey lembrou que Francisco Júnior foi secretário do prefeito Iris Rezende durante o segundo mandato do decano emedebista (2005-2008) e que coube ao deputado a coordenação do último plano diretor da cidade, aprovado em 2007. “Aquele mesmo plano diretor foi uma das bandeiras que elegeu Francisco Júnior vereador pela base irista”, lembra o vereador.

Azeredo disse lamentar que o deputado Francisco Júnior tenha ficado tanto tempo fora e que volte agora, com motivação eminentemente eleitoral, para criticar as gestões dos últimos 15 em Goiânia. “Lamento que a ingratidão seja o pano de fundo de suas movimentações para 2020”, disse o vereador diretamente ao deputado.

“Posso dizer que, como homem público, vivo Goiânia há mais de 15 anos. Reconheço os avanços e tenho bom senso para admitir as dificuldades que precisam ser contornadas. Trabalho por melhorias e oportunidades para todos. Discuto e procuro soluções para os problemas”, disse Andrey.

O vereador fez um balanço da gestão Iris Rezende, lembrou as dificuldades encontradas e o grande volume de obras lançadas na Capital e aconselhou Francisco Júnior: “não se deve subestimar o eleitor. A atual gestão tem tocado grandes obras, como na área da mobilidade. Desconsiderar iniciativas como o viaduto da avenida Jamel Cecílio, ou a trincheira da avenida 90, onde passará o BRT, é se pautar por um viés oposicionista por mero oportunismo”, encerrou.

Continue Lendo

Capital

FOTOS | Obras na Avenida Goiás estão à todo vapor e seguem ritmo acelerado

Publicado

em

Por

Goiânia se tornou um canteiro de obras! Os projetos, que estão por toda parte, não param de avançar. Neste início de semana a prefeitura de Goiânia está concretando a pista do BRT da Avenida Goiás. Hoje, a frente de trabalho está concentrada entre Avenida Paranaíba e a Rua 5. 🚧👷🏽‍♂

Continue Lendo