Conecte-se conosco

Estado

Goiás finaliza safra 2019/2020 com recorde na produção de grãos, aponta Conab

Segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento, Estado produziu 27,5 milhões de toneladas, com destaque para soja e milho. Perspectiva é de crescimento em outros cultivos no ciclo 2020/2021. Governo de Goiás trabalha para aumentar e diversificar produção, destaca Antônio Carlos, titular da Secretaria de Agricultura

Publicado

em

Goiás confirma o recorde na produção de grãos para a safra 2019/2020, que se encerra com 27,5 milhões de toneladas produzidas, um aumento de 8,9% sobre a safra anterior. Os dados são do 12º Levantamento de Grãos, divulgado nesta quinta-feira (10/09). É o último do ciclo 2019/2020, realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que também aponta o registro histórico na produção nacional: 257,8 milhões de toneladas no total (4,5% a mais que na safra 2018/2019).

Segundo a Conab, o recorde se deve ao aumento da área plantada e da produtividade, tanto no País de modo geral, quanto no Estado, com média de aumento acima da brasileira.

Em Goiás, a área plantada foi de 6,07 milhões de hectares (aumento de 7,2% sobre a safra anterior) e a produtividade média de 4.535 quilos por hectare (aumento de 1,5%). Já no País, a área plantada cresceu 4,2% (65,91 milhões de hectares) e a produtividade média, 0,3% (3.912 quilos por hectare).

Os principais destaques confirmados são nas culturas de soja e milho. Goiás produziu 13,1 milhões de toneladas de soja (8,8% sobre a safra passada) e 12,6 milhões de toneladas de milho (9,8% acima da safra 2018/2019). Nas duas culturas, o Estado ocupa a posição de terceiro maior produtor nacional.

Outro destaque foi a produção de sorgo, na qual o Estado é o maior produtor do País. Na safra 2019/2020, Goiás produziu 1,09 milhão de toneladas, o que representa aumento de 10,9% sobre a safra passada.

Arroz e feijão

Segundo os dados da Conab, Goiás também teve aumento da produção de arroz e feijão na safra 2019/2020. A produção de arroz foi de 120,4 mil toneladas (6,9% a mais que 2018/2019) e a de feijão, 332,8 mil toneladas (aumento de 9,3% sobre a safra passada).

Apesar do crescimento na produção dessas culturas, o titular da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Antônio Carlos de Souza Lima Neto, lembra que Goiás ainda não é autossuficiente nessa produção e de que boa parte dos estoques vem de outros Estados, como no caso do arroz, em que a produção do Rio Grande do Sul se destaca.

No entanto, o secretário destaca que a produção em Goiás tem crescido e que o Governo do Estado trabalha para melhorar a oferta interna e o abastecimento. “Muito tem sido questionado sobre os preços praticados ao consumidor, sobretudo no arroz, mesmo diante dos altos índices de produção alcançados no País. Embora boa parte do arroz consumido venha de outros Estados e até de outros países, e do câmbio favorecer a exportação nacional de arroz, o Governo de Goiás trabalha para aumentar a produção no Estado e garantir maior oferta”, explica.

Conforme detalha Antônio Carlos, sob orientação do governador Ronaldo Caiado, o Estado tem investido na produção de arroz irrigado no Nordeste Goiano, sobretudo na região do Vão do Paranã. “Temos projetos coordenados pelo Estado de ampliar a produção de arroz no Estado e isso pode contribuir também para aumentar a oferta do grão localmente”, avalia.

Além disso, o secretário salienta que o Estado também investe na produção da agricultura familiar, cuja produção vai quase à totalidade para o mercado interno, o que deve favorecer a oferta.

Antônio Carlos ainda informa que trabalham em políticas públicas para ajudar o pequeno produtor da agricultura familiar a alcançar maior comercialização de seus produtos. Exemplo é o Programa de Aquisição de Alimentos Estadual (PAA), que vai ser aberto nos próximos dias.

“Temos consciência que são investimentos que precisam partir por diversas frentes para equilibrar essas questões de oferta e demanda e favorecer nossa população. O Estado quer exportar, mas sem deixar de lado o nosso cidadão, que precisa de alimento de qualidade na mesa, e que também se beneficia desse comércio internacional”, salienta.

Frutas

Também foi divulgado nesta quinta-feira (10/09), o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola 2020 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Entre os dados divulgados, a fruticultura no Estado indica a produção 204,3 mil toneladas de banana, 138,6 mil toneladas de laranja e 1.983 toneladas de uva.

O secretário Antônio Carlos ressalta que apesar da produção de frutas em Goiás ainda ser pequena no comparativo a outros Estados, o Governo de Estado investe na abertura de novos polos de produção, como o de Fruticultura Irrigada no Nordeste do Estado, em implantação por meio da parceria entre o Governo de Goiás e a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

“Conforme determinou o governador Ronaldo Caiado, o Governo trabalha não só para aumentar a produção do que já temos, como para diversificar a produção. E a fruticultura é uma das apostas, não só pelo alto valor agregado, mas também pelo desenvolvimento econômico e social que vai proporcionar à região”, finaliza.

Foto: Wenderson Araujo

Comunicação Setorial da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) – Governo de Goiás

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Protegido: Acesse aqui a versão digital desta terça-feira, 22 de Setembro de 2020

Publicado

em

Por

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

Continue Lendo

Estado

DETRAN | Inscrições da CNH Social podem ser feitas até pelo celular

Saiba como concorrer a uma das 4.014 vagas abertas para quem deseja tirar a habilitação de graça

Publicado

em

Por

O Governo de Goiás, por meio do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás, está oferecendo 4.014 vagas para pessoas de baixa renda, com Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico) ativo, que desejem obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), adicionar ou mudar a categoria do documento gratuitamente. As inscrições estão abertas de 18 de setembro a 18 de outubro exclusivamente no site da autarquia, e podem ser realizadas até pelo celular.

Para concorrer em uma das categorias – urbana, rural ou estudantil – os estudantes devem ter entre 18 e 25 anos, estar com cadastro ativo no CadÚnico, ter cursado integralmente e concluído o ensino médio na rede pública estadual. Para essa modalidade, um dos critérios de desempate será a nota média apurada pela Secretaria de Educação do Estado de Goiás.

Para conquistar uma vaga na modalidade Urbana ou Rural é necessário ter idade igual ou superior a 18 anos, estar inscrito e ativo no CadÚnico, saber ler e escrever, e atender aos critérios estabelecidos pelo Código Brasileiro de Trânsito e pelas leis estaduais 20.637/2019 e 20.834/2020. Cinco por cento das vagas serão destinadas a pessoas com deficiência.

Saiba como se inscrever

Se candidatar a uma das vagas do programa é gratuito e rápido. O interessado deve acessar o site www.detran.go.gov.br e clicar na aba CNH Social, localizada na barra horizontal na parte superior da tela. Quando abrir a página, deverá clicar em inscrições. Nesse momento, deverá optar para qual modalidade deseja se inscrever. Por isso, é importante saber os critérios exigidos para cada uma.

Após selecionar a modalidade, aparecerá uma tela para que o candidato preencha os dados pessoais. Quando preencher os campos obrigatórios, o postulante deverá certificar-se de que os dados estão corretos antes de clicar em avançar.

Preenchidos os dados pessoais, é hora de escolher se deseja fazer a primeira habilitação para motocicleta (A), automóvel de passeio (B), adicionar A ou B ou mudar de categoria B para D (ônibus). Feito isso, o candidato deve clicar em avançar.

Para finalizar a inscrição, o candidato deve selecionar aceito no termo de responsabilidade e no aviso de que as despesas referentes ao deslocamento para a entrega de documentação, exames, cursos e provas são de competência do postulante. Então é só avançar, e gerar o comprovante de inscrição.

Os contemplados recebem isenção de taxas como inclusão no Renach, Licença de Aprendizagem de Direção Veicular, agendamento de prova teórica, agendamento de exame prático, exame médico, psicológico e toxicológico caso necessite. A pessoa com deficiência classificada dentro do número de vagas também se abstém de pagar pela junta médica. Por meio de parcerias com os Centros de Formação de Condutores (CFCs), são oferecidos ainda o curso teórico de legislação de trânsito, as aulas práticas de direção e até três retestes gratuitos.

Goiânia, 21 de setembro de 2020.

Comunicação Setorial do Detran-GO.

Continue Lendo
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com