Conecte-se conosco

Estado

Governo de Goiás investe R$ 15 milhões em centro de excelência de agricultura exponencial

Publicado

em

Unidade em Rio Verde deve receber outros R$ 35 milhões de outras instâncias do setor público e privado

Goiás se prepara para receber o segundo centro de excelência do Estado, o Centro de Excelência em Agricultura Exponencial (Ceagre), que será instalado no Polo de Inovação do Instituto Federal Goiano (IF Goiano), em Rio Verde. A proposta é fortalecer a vocação agrícola do Estado por meio de projetos de pesquisa aplicada capazes de levar tecnologias exponenciais ao campo e agregar valor aos produtos. A meta do Ceagre é se tornar uma referência na promoção do empreendedorismo agropecuário e apresentar soluções inovadoras e precisas para a eficiência, desempenho e competitividade do agronegócio. As atividades do Centro tiveram início em março.

A iniciativa partiu do Governo de Goiás, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), e do Instituto Federal Goiano – Campus Rio Verde, que vão contar com a parceria da Prefeitura de Rio Verde, da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e do Centro de Excelência em Inteligência Artificial (Ceia) lançado no ano passado pelo Governo de Goiás, por meio da Fapeg e Secretaria de Desenvolvimento e Inovação (Sedi) e o Instituto de Informática da Universidade Federal de Goiás. O Ceia e o Ceagre vão desenvolver projetos de pesquisa em conjunto.

Segundo o presidente da Fapeg, Robson Vieira, “a Fundação está entrando para potencializar a infraestrutura do parque tecnológico do IF Goiano de Rio Verde, primeira unidade Embrapii em Goiás”. Além da infraestrutura de pesquisa com laboratórios, salas e equipamentos já instalada e do quadro de profissionais existente no parque científico e tecnológico do IF Goiano, o Ceagre contará com um prédio que está sendo construído no centro da cidade de Rio Verde para o funcionamento do hub de negócios, uma espécie de vitrine para os negócios e onde acontecerão os shows cases para demonstrar os conceitos e tecnologias aplicados à agropecuária. As obras estão aceleradas com o apoio da Prefeitura de Rio Verde, que cedeu a área. Além destas duas estruturas, o Ceagre vai dispor de uma área de 400 mil hectares conectados (fazenda) que funcionará como um grande laboratório a céu aberto, onde serão validadas as tecnologias exponenciais desenvolvidas.

*Investimento*

Ao longo de cinco anos, o Governo de Goiás vai liberar um total de R$ 15 milhões para fomentar a realização dos projetos, destes, R$ 9 milhões, serão aportados para o fomento inicial de 100 bolsas de pesquisa nas mais diversas modalidades: mestrado, doutorado, técnico, graduação, pós-doc, de iniciação científica, pesquisador visitante, entre outras. “Queremos formar um novo agrônomo, um novo técnico na área de economia que domine as tecnologias exponenciais e não seja apenas um profissional que saiba trabalhar no campo”, disse Vieira.

O acordo prevê ainda a captação de outros R$ 35 milhões provenientes de outras instâncias do setor público e privado, totalizando um investimento de R$ 50 milhões.

O projeto contará com a participação de pesquisadores especialistas em redes, sensores, automação durante os cinco anos de operação. Nesse contexto de Big Data, algoritmos, conectividade 4G/5G e LoRa para logística e rastreabilidade, drones, tratores e outros dispositivos autônomos, biotecnologia, Internet das Coisas e Inteligência Artificial, o Ceagre estará preparado para fazer a transformação digital no campo. O Centro terá, também, a preocupação em desenvolver soluções de baixo custo que possam ser incorporadas no dia a dia de pequenos e médios produtores rurais visando aumentar a competitividade, maximizar a produtividade, aumentar a qualidade, reduzir gastos e riscos.

*Desenvolvimento*

O Ceagre executará, ainda, projetos estratégicos em alinhamento com a política pública do setor agropecuário desenvolvendo soluções que impactem o desenvolvimento econômico, social e tecnológico do estado de Goiás. Um grupo de pesquisa aplicada e inovação vai atuar nas demandas apresentadas pelo governo para o setor agrícola (Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Emater, Agrodefesa e Ceasa), promovendo treinamentos, aplicação de Big Data do agro, fazendo monitoramento em tempo real dos principais indicadores agroeconômicos, na transferência de tecnologia para o pequeno e médio produtor e outras demandas que possam ocorrer.

Uma outra equipe de pesquisa aplicada e inovação em Gestão de Safras e Pecuária do Ceagre vai atuar em gestão de fertilização e nutrição vegetal; gestão de correção de solo e plantio direto; gestão de colheitas e irrigação inteligente; previsão de doenças e infestação de insetos; aplicação inteligente de insumos; agricultura vertical; e previsões meteorológicas; e também na área de zootecnia.

O diretor-geral do Centro, Vicente Pereira, destacou que “o grande diferencial do projeto do Ceagre é que ele já nasce com a chancela de uma unidade Embrapii – Unidade de Tecnologias Agroindustriais, concedida ao polo do IF Goiano de Rio Verde”. “O Ceagre nasce em Rio Verde, mas não é um projeto só do sudoeste goiano. É um projeto para o Estado de Goiás e vai contemplar todas as regiões. A tecnologia e pesquisas desenvolvidas lá podem ser levadas para o norte ou nordeste goiano,” diz Vicente Pereira, ressaltando a capilaridade do IF Goiano, que está presente em 14 cidades do Estado.

*Negócios*

O diretor científico do Ceagre, Tavv Alves, explica que o Centro vai gerar negócios e P&D focados em inovação, gerar soluções tecnológicas de alto valor agregado e deve aumentar o número de startups de agro em Goiás. Startups com possíveis ideias para desenvolver projetos de inovação no setor agropecuário já podem procurar a coordenação do centro pelo e-mail: vicente.almeida@ifgoiano.edu.br.

Para Tavv Alves, a efetiva adoção de tecnologias digitais pelos agricultores pode fornecer estimativas precisas do estresse em plantas causado por insetos, doenças, nematoides, nutrientes, competição com plantas daninhas e deficiência hídrica que apenas computadores podem revelar. Segundo ele, dias de campo e treinamentos que poderiam ser ministrados pela Emater, por exemplo, e aplicativos para celulares, cursos profissionalizantes e videoaula para educação a distância facilitarão o acesso a novas tecnologias pelo produtor rural de pequeno e médio porte.

“Os estudantes dos níveis técnico, graduação e pós-graduação serão treinados para executar e coordenar atividades de pesquisa aplicada com parcerias entre instituições de ensino públicas e empresas públicas e privadas. As linhas de pesquisa estruturadas por essa proposta facilitarão o acesso a ferramentas computacionais, arquitetura analítica compartilhada e produtos inovadores para agricultura que integrem funcionalidade (fácil utilização por usuários), desempenho (sem necessidade de grandes investimentos para adquirir/usar a plataforma final colocada no mercado) e escalabilidade (mercado brasileiro e internacional)”, explica o diretor Tavv Alves.

*Parcerias*

Para o reitor do IF Goiano, Elias de Pádua Monteiro, “o Ceagre será protagonista na jornada de integração entre a academia, governo e cadeia produtiva do agronegócio, fortalecendo as ações de pesquisa, desenvolvimento e inovação no nosso estado”. Segundo ele, o Centro de Excelência em Agricultura Exponencial nasce com o compromisso de desenvolver tecnologias e aplicá-las no campo, otimizando a gestão de safras e a agropecuária do pequeno, médio e grande produtor e para toda a cadeia do agronegócio do estado.

O reitor explica que serão realizados fóruns interinstitucionais anuais com foco na solução de problemas que serão convertidos em projetos que explorem as potencialidades do ecossistema do agro, principalmente para atender regiões mais carentes do estado. “Tais projetos serão previamente definidos em consonância com a sociedade (agricultores) e empresas agritech”. O novo centro de excelência vai gerar impactos positivos para o IF Goiano, pois vai potencializar a geração de conhecimento e inovação (artigos, patentes, drones, robótica e agricultura de precisão); ampliar o número de pesquisadores, direta ou indiretamente envolvidos nas pesquisas; e aumentar a visibilidade do IF Goiano na comunidade local, nacional e internacional.

O secretário de Ciência, Desenvolvimento e Inovação, Márcio César Pereira, entende que o Centro será mais um investimento do Governo de Goiás em tecnologia para facilitar a vida das pessoas. “Com o Ceagre serão desenvolvidas pesquisas com foco em inovação, gerando soluções tecnológicas que vão aumentar a produtividade do agronegócio, tornando-o ainda mais competitivo. Além disso, reforça o nosso ecossistema de inovação, que terá mais um espaço para mostrar, com resultados práticos, a importância da tecnologia”.

O secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Antônio Carlos de Souza, avalia que o Ceagre será um marco na história de Goiás. “Acreditamos e apostamos no avanço da tecnologia dentro da propriedade rural e a convicção que temos é que, com a experiência de vários profissionais envolvidos trabalhando num propósito de promover e transformar toda a ciência desenvolvida na implementação de tecnologias ao alcance dos produtores rurais será diretamente um importante resultado alcançado por esse projeto liderado pela Fapeg e IF goiano, comandado pela Sedi e apoiado pela Seapa. Temos uma aposta imensa em todos os resultados que virão pela frente e a crença de que o Centro certamente possibilitará, ainda mais, o crescimento e o desenvolvimento do agronegócio no estado de Goiás”.

*Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) – Governo de Goiás*

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Caiado lança mais 4.014 vagas para CNH Social

Publicado

em

Por

O governador Ronaldo Caiado lançou, nesta sexta-feira (18/09), mais 4.014 vagas para o CNH Social, durante abertura da Semana Nacional de Trânsito em Goiás, evento realizado no auditório do Detran-GO. O lema deste ano é “Perceba o risco, proteja a vida”. O programa é uma oportunidade para habilitação, mudança ou adição de categoria da Carteira Nacional de Habilitação exclusivas para população de baixa renda. A iniciativa atende pessoas que não têm condições de arcar com todas as taxas e custos. Os investimentos somam R$ 7,47 milhões.

O evento marca o início das inscrições para a segunda etapa do programa CNH Social. O governador lembrou que a iniciativa vai ao encontro dos propósitos da Secretaria da Retomada, ao promover a inserção no mercado de trabalho. “É a oportunidade de a pessoa ter uma ferramenta para enfrentar o desemprego que estamos vivendo neste momento”, pontuou.

Caiado mencionou que seu propósito de devolver Goiás aos goianos é cada vez mais uma realidade e que tem no Detran-GO um dos maiores exemplos, ao ser transformado num órgão orientador, que facilita a vida das pessoas. Lembrou que, para isso, foi preciso “desmamar as viúvas da corrupção”.

O governador ainda reconheceu o apoio e fez um pedido aos servidores: “Sejam simpáticos, atenciosos, entendam até os momentos em que as pessoas estão mal-humoradas.” Também agradeceu a diretoria por adiar todas as parcelas do IPVA.

O anúncio da nova oferta da CNH Social coincide com a abertura da Semana Nacional de Trânsito. Só em 2020, houve registro de mais de 40 mil acidentes de trânsito no Estado até o mês de agosto, com 500 vítimas fatais. “É importante intensificar nossas ações para educar o cidadão. Temos que atacar os focos e tirar as pessoas do estresse do trânsito, com campanhas de marketing criativas, para que as mensagens reforcem essa necessidade de atenção”, afirmou Caiado.

Vice-governador de Goiás, Lincoln Tejota destacou a modernização do Detran, implantada pelo Governo de Goiás, por meio de sua diretoria. “Temos utilizado as ferramentas mais modernas de gestão, para que possamos transformar tudo que o Estado tem em benefício da sociedade”, afirmou ao citar o programa Goiás de Resultados, que já conquistou avanços importantes na redução de custos.

Dentre as inovações da autarquia, o presidente do Detran-GO, Marcos Roberto Silva, ressaltou a implementação do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) Eletrônico, que permite aos motoristas, após duas horas do pagamento, ter acesso ao documento, costumeiramente chamado de “verdinho”.

Marcos ressaltou que, hoje, não é preciso esperar um ou até dois meses para ter acesso a essa documentação. “E fomos pioneiros no país. Lembro até hoje de quando falei ao governador e ele autorizou que implementássemos de forma imediata, o que trouxe uma economia de quase R$ 6 milhões para o Detran. Dinheiro que é revertido para outras áreas do Estado”, disse. Informou, ainda, que as plataformas on-line permitiram quase 200 mil atendimentos, mesmo no transcorrer da pandemia, seja pelo site ou aplicativo Detran GO ON.

*Modernização*

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira, pontuou que o Estado de Goiás, mesmo com a crise sanitária provocada pelo novo coronavírus, não parou. “Em todos órgãos e secretarias, temos novidades e melhorias para a população. E o Detran não poderia ser diferente, vem se reinventando, com unidades mais modernas, aplicativos novos para facilitar o atendimento ao contribuinte e campanhas educativas como esta, que conscientiza as pessoas para os perigos da imprudência no trânsito”, comentou.

Presente na solenidade, a titular da Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) de Goiás, Lúcia Vânia, cumprimentou o presidente do Detran por sua sensibilidade social e esforço para diminuir os “vergonhosos” índices de acidentes de trânsito. A secretária ainda parabenizou o governador pela gestão que se preocupa com o social. Também mencionou a coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais e presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), primeira-dama Gracinha Caiado, por ser uma facilitadora das ações da pasta. “Quando se governa com retidão, boa vontade e espírito público, tudo pode acontecer. E tem acontecido tudo de melhor que Goiás poderia esperar”, afirma.

O deputado estadual Charles Bento reconheceu os avanços da nova gestão e o esforço de Lúcia por “tantos recursos já trazidos ao Estado”. Lembrou que foi relator do projeto de lei da CNH Social, e destacou que o projeto proporciona a muitas pessoas se inserirem no mercado de trabalho, especialmente aos jovens. “O governador resgatou com este projeto a vontade de se habilitar. Parabéns por estender essa chance aos mais de 4 mil futuros novos beneficiados”.

Gerente de Educação no Trânsito da Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT) de Goiânia, Horácio Ferreira destacou a importância da parceria entre as esferas municipal e estadual para dar maior assertividade aos trabalhos de educação e fiscalização.

Como se candidatar

A partir desta sexta-feira (18/09), serão 30 dias para se cadastrar exclusivamente pelo site www.detran.go.gov.br. Cada pessoa poderá se candidatar em apenas uma das modalidades do programa, divididas em estudantil, urbana e rural.

O programa oferece a isenção das taxas do Detran-GO [Inclusão no Registro Nacional de Carteira de Habilitação (Renach), Licença de Aprendizagem de Direção Veicular, agendamento de prova teórica, agendamento de exame prático]. Eles também ficarão isentos de pagar pelos exames médico e psicológico, junta médica, quando se tratar de candidato com deficiência, e toxicológico, exigido para categoria profissional. Por meio de parcerias, são oferecidos ainda o curso teórico, de legislação de trânsito, as aulas práticas de direção e até três retestes.

Na primeira etapa do programa, o Governo de Goiás investiu R$ 3,74 milhões (incluindo desembolso financeiro e isenção das taxas). Agora, a previsão é que sejam demandados investimentos de R$ 7,47 milhões para beneficiar 1.206 pessoas com CNH categoria “A” (motocicleta), 804 para categoria “B” (automóvel), 501 para adição de categoria “A”, 501 para adição de categoria “B” e 1.002 para mudança de categoria “B” para “D” (ônibus).

A nova etapa traz regras mais humanizadas e socialmente adequadas para o desempate dos candidatos inscritos. Na categoria estudantil, por exemplo, substitui-se a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pela média obtida no ensino médio da rede pública estadual de Goiás, apurada pela Secretaria de Estado da Educação.

Também são critérios de desempate entre os candidatos inscritos renda familiar per capita, número de componentes do grupo familiar, existência de benefício social, data e hora da inscrição, e idade.

No evento de abertura da Semana Nacional de Trânsito e lançamento de novas vagas para o CNH Social também estiveram presentes o secretário de Estado de Comunicação, Tony Carlo, o secretário-Chefe da Casa Militar, coronel Luiz Carlos de Alencar, o assessor especial da Governadoria, Lyvio Luciano, o chefe de gabinete particular da Governadoria Alex Gondim, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás, coronel Esmeraldino Jacinto de Lemos, o superintendente de Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Osvani Gondim, os diretores do Detran coronel João Batista (Atendimento e Inovação), Osmar Pereira (Operações), Isac Silva (Técnico) e Wiles Silva (Gestão Integrada), o presidente do Sindicato dos Profissionais dos Centros de Formação de Condutores do Estado de Goiás (Sinpocefc), Derli Fernandes, e dois dos candidatos contemplados na primeira edição da CNH Social, Wellington Borges e Alexandre Marques.

Fotos: Júnior Guimarães

Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

Continue Lendo

Estado

Goiás avança uma posição no Ranking de Competitividade 2020

Publicado

em

Por

Goiás avançou uma colocação no Ranking de Competitividade dos Estados em 2020. Relatório divulgado nesta quinta-feira (17/09), pelo Centro de Liderança Pública (CLP), mostra o Estado com média de 47,2 e na 12ª posição numa escala que abrange todas as 27 unidades federativas. A melhora do cenário goiano em relação ao ano passado teve como destaque a reação na infraestrutura, potencial de mercado e inovação.

Divulgado anualmente desde 2011, o ranking analisa 68 indicadores considerados essenciais para a promoção da competitividade no âmbito da gestão pública. Eles são distribuídos em 10 pilares temáticos: infraestrutura, sustentabilidade social, segurança pública, educação, solidez fiscal, eficiência da máquina pública, capital humano, sustentabilidade ambiental, potencial de mercado e inovação.

No relatório, entre os destaques regionais de Goiás está o pilar potencial de mercado. Nessa área, a nota goiana é 37,6, pontuação acima inclusive da média nacional: 35,9. Nesse cenário, o Estado avançou cinco posições em relação a 2019, ficando em 11º lugar. Os dados consideram o tamanho e a dinâmica do Produto Interno Bruto (PIB) de cada Estado, e ainda o crescimento potencial da força de trabalho.

As estratégias econômicas adotadas pelo Governo de Goiás incluem a atração de grandes e médios investimentos associados à melhoria na infraestrutura, a ampliação e requalificação dos modais de transporte, com ênfase para o ferroviário, e internacionalização do aeroporto de Goiânia.

Outra iniciativa foi o estabelecimento de políticas de incentivos fiscais mais vantajosas para regiões de baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e financiamentos pelo Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO).

Já na infraestrutura, Goiás saltou da 22ª posição no ranking, no ano passado, para a 17ª em 2020. A nota local alcançada nesse quesito, de 38,6, é a maior dos últimos três anos, segundo estatística do próprio CLP. Foram dados pesos maiores aos indicadores de qualidade das rodovias, e Goiás atingiu a nota 3,4 na pontuação, alcançando a sétima melhor marca neste quesito. Em relação à qualidade das rodovias, o Estado subiu nove posições em relação ao ano anterior.

A Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) atribui a melhoria do desempenho às medidas adotadas, como o rigor na gestão dos contratos, a otimização da utilização dos recursos financeiros, o foco na manutenção da malha rodoviária estadual e, ainda, os investimentos em implantação e restauração de rodovias estratégicas.

No campo da inovação, o Estado ganhou três colocações e ficou em 20º. A nota atual nesse pilar é 24,6, cenário bem diferente das edições anteriores: 16,6 em 2019, 12,6 em 2018, e 11,7 em 2017.

A subida no ranking nesse pilar é reflexo das ações que o Governo de Goiás desenvolve, por meio da Secretaria de Desenvolvimento e Inovação (Sedi). Entre os exemplos está a realização da Campus Party. Também contribui o fato de Goiás ter hoje mais de 100 startups ativas e o Estado ser o segundo maior polo de inovação do Centro-Oeste.

Além disso, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), jurisdicionada à Sedi, também fomenta a ciência, a tecnologia e a inovação no Estado, com o financiamento de trabalhos nessas áreas e o incentivo à capacitação de recursos humanos, por meio de bolsas em diversos níveis de formação, e realização de parcerias com órgãos de fomento à pesquisa e com entidades científicas de todo o mundo.

*Destaques*

Entre os 10 pilares temáticos avaliados para a construção do relatório, a sustentabilidade ambiental representa o melhor índice local, já que coloca Goiás em quinto lugar. A nota é de 74,0, enquanto a média do Brasil é de apenas 54,8.

Ainda assim, em comparação ao ano passado, Goiás registrou queda de uma posição nesse pilar. A Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) acredita que o recuo no ranking tenha se dado boa parte em função do aumento do número de focos de incêndio que ocorreu no ano passado. Esclarece, porém, que há uma ação do Estado de Goiás para realizar a prevenção, especialmente nas unidades de conservação. Em 2020, por exemplo, já houve grande ampliação desta proteção.

Em sustentabilidade social o Estado ficou com a 11ª posição, com nota 64,7. A média nacional é 47,1. Esse quesito avalia tudo o que a atual gestão estadual vem trabalhando para erradicar, como a desigualdade de renda, a inadequação de moradia, falta de acesso a saneamento básico, entre outros. Tal trabalho é promovido via Gabinete de Políticas Sociais, comandado pela primeira-dama Gracinha Caiado, com foco nos municípios mais vulneráveis.

Na educação, o Estado ficou em oitavo lugar. Nesse caso, também está acima da média nacional: 59,6, ante 43,1. A nota é uma somatória de fatores, como avaliação da educação, o índice de oportunidades e a taxa de frequência dos alunos.

Nesta semana, a educação goiana conquistou mais um reconhecimento por atingir a maior nota do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) na avaliação do ensino médio, com 4,8, patamar superior ao registrado nacionalmente, de 4,2. Também foi a única unidade da Federação a bater a meta individual estipulada para 2019.

*Avanços*

As ações do governo de Goiás deixam a economia do Estado mais dinâmica, o que já provocou a chegada de novos investimentos e a perspectiva de um ciclo virtuoso de desenvolvimento.

Na indústria, Goiás apresentou números positivos nos três últimos levantamentos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): crescimento de 2,5% (julho), 2,3% (junho) e 1,4% (maio).

Goiás também passou a ocupar o primeiro lugar do Brasil no que diz respeito ao tempo para abertura de uma empresa. De acordo com dados do segundo quadrimestre de 2020 do Mapa de Empresa, o prazo para criação de empreendimento no Estado é de 1 dia e 1 hora, queda de 11 horas (30,6%) em relação ao primeiro quadrimestre deste ano.

O Governo de Goiás destaca, ainda, que busca desde o início da gestão a melhoria das condições financeiras para o Estado. Resultados desse trabalho já são colhidos. Exemplo recente foi o Relatório da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Ministério da Economia, que mostra que Goiás foi o Estado com maior redução de despesas no País, em 2020. De janeiro a junho, a queda nos gastos públicos alcançou 8% em comparação ao mesmo período do ano passado, apesar de todos os recursos investidos no enfrentamento à pandemia de Covid-19, desde março último.

Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

Continue Lendo
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com