Conecte-se conosco

Agenda

Gracinha Caiado e Secretaria da Retomada realizam mapeamento do artesanato no Sudoeste goiano

Publicado

em

A primeira-dama e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), Gracinha Caiado, realizou entre quarta e quinta-feira (28 e 29/10), em Mineiros e Chapadão do Céu, mais uma etapa do mapeamento do artesanato goiano para a criação do Sistema do Artesanato de Goiás (SAG) e do Selo do Artesanato, uma certificação da qualidade do trabalho produzido em território goiano. A iniciativa, realizada junto à Secretaria da Retomada, tem como objetivo reconhecer, valorizar e divulgar as potencialidades dos artistas goianos, garantindo qualificação e renda.

“Isso é a mão estendida do Estado para a economia criativa, que foi tão esquecida durante anos e que, por determinação do governador Ronaldo Caiado, será prioridade. Queremos valorizar nossa cultura e preservar nossas tradições”, afirmou.

O levantamento é minucioso e parte do princípio de ouvir os artistas e entender a realidade de cada região. Por isso, uma equipe técnica – entre eles a coordenadora do Programa do Artesanato da Secretaria da Retomada, Miriam Pires e o superintendente da Retomada, Trabalho, Emprego e Renda, Décio Coutinho – visitou e conversou com artesãos locais. São nesses encontros que o Governo de Goiás ouve a demanda para elaborar políticas públicas voltadas ao setor, composto por cerca de 9 mil pessoas de todas as regiões do Estado.

No primeiro dia, a equipe técnica visitou Rosa Maria Silveiro, de 67 anos, que trabalha com malha e também cria diversos produtos a partir da fibra de buriti. Uma arte manual e demorada, que resulta uma riqueza de detalhes. Ela ficou animada com a criação do SAG e a perspectiva de ter seu artesanato valorizado e distribuído não só em Mineiros, como por todo Estado e pelo Brasil. “Com o sistema e a cooperativa, nosso trabalho terá mais saída e isso vai ajudar muito”, projetou ela.

Já Elpídio Alves, de 78 anos, trabalha junto ao filho no reaproveitamento de madeira, que se transforma em utensílios e móveis, como gamela, pilão, tábua, colher de pau, monjolo, cama, mesa e cadeira. Uma atuação tradicional na família, vinda da Bahia, e que já está na terceira geração. “Com a pandemia, nossas vendas caíram cerca de 20 a 30%. Precisamos desse apoio. [Com a ação do governo], temos a expectativa de vender mais produtos. Quero até comprar uma nova máquina para fazer as peças com mais rapidez”, afirmou o artesão.

Ao chegar em Mineiros, Gracinha Caiado prestigiou uma exposição de artesanato instalada no Colégio José Alves de Assis. Depois de conhecer o que é produzido na região, como bonecas de pano, chaveiros, quadros, esculturas de madeira, tapetes e bolsas, a primeira-dama assegurou que o objetivo do governador Ronaldo Caiado é dar voz aos artesãos, potencializar as vendas e melhorar a renda daqueles que vivem da própria arte. “Por trás desse trabalho, tem pessoas que precisam da renda. E o que estamos fazendo é exatamente capacitar para que eles possam produzir melhor”, salientou.

No local, foi anunciada uma parceria entre o Governo de Goiás e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que ajudará nessa capacitação dos artistas locais. Os artesãos com registro ou Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) terão acesso gratuito à consultoria via SebraeTec para construção da própria marca, como identidade visual, embalagens, site e artes para as mídias sociais. “Vamos profissionalizar os negócios de artesanato como forma de acessar novos mercados”, destacou a analista do Sebrae Goiás, Heloene Vicente Leal.

O secretário da Retomada, César Moura, afirmou que essa parceria é mais uma prova de que o recém-lançado SAG veio para valorizar todo o tipo de arte manual. “Queremos dar visibilidade e mostrar para a população o quão rico é o nosso artesanato”, frisou. A primeira etapa desse mapeamento, lembrou, ocorreu em setembro, durante visita a Olhos D’Água. “E vamos fazer todo mês duas visitas em regiões onde o artesanato é forte”, informou.

O deputado federal José Mário Schreiner acompanhou a agenda de Gracinha em Mineiros e classificou a ação de governo como um momento ímpar para a região. “Não me lembro de, aqui em Mineiros, uma primeira-dama ou alguém do governo voltado para essa área, incentivar e apoiar. Isso mostra que estamos vivendo um tempo diferente”, afirmou. “Precisamos reconhecer que o governador Ronaldo Caiado trabalha e faz um governo sério, um governo para o Estado mas, acima de tudo, para as pessoas”, completou o parlamentar.

*Parceria garantirá acesso a máquinas de cartão de crédito*

Já em Chapadão do Céu, na quinta-feira (29/10), a comitiva deu continuidade às visitas aos artesãos. Na ocasião, o secretário da Retomada, César Moura, anunciou parceria com a GoiásFomento para impulsionar os negócios locais. Além de microcrédito social voltado para o setor, a iniciativa vai garantir a distribuição de máquinas de cartão de crédito, entre quem tiver a carteirinha ou o selo do artesanato. Isso porque uma das demandas verificadas pelo mapeamento indica que a ausência dessa tecnologia provoca perda de vendas. “Vamos fazer o fomento financeiro e intelectual. Esse é um apoio para o artesão realmente gerar emprego e renda”, asseverou o secretário.

A novidade foi celebrada pela primeira-dama, que cumpriu agenda também acompanhada da secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Andréa Vulcanis. “O que falta a essas pessoas é a oportunidade de levar o seu produto além fronteiras, e é isso que nós estamos fazendo”, reafirmou. Gracinha disse, ainda, que os artesãos precisam estar preparados para atender os clientes, a maioria deles turistas. Em um dos compromissos no município, ela esteve em uma exposição no Núcleo de Voluntários de Combate ao Câncer, onde conheceu produtores de bonecas de pano, esculturas em madeira, produtos para cozinha e também bijuterias.

Mais cedo, a equipe do governo estadual foi até a casa de Neusa Alves de Jesus, de 74 anos, e de seu esposo, Pedro Rodrigues de Jesus, de 79. Os dois são casados há 56 anos. Ela aprendeu, ainda adolescente, a fazer tear e desenvolve diversos produtos, como cachecol e tapetes. Parte do trabalho envolve descaroçar o algodão e, com outros dois instrumentos, fazer os fios para criar os produtos artesanais. O casal pediu um olhar especial para a criação de um ambiente que pudesse preservar a tradição. “Seria importante voltar a casa do artesanato. Um espaço com estrutura e que possamos ensinar outras pessoas”, explicou Neusa.

Logo em seguida, a comitiva foi à loja das “Três Margaridas”, como são conhecidas Genides Gorgen, sua filha Sandra Gorgen e a amiga Lenita de Oliveira. Gracinha conheceu o trabalho feito em patchwork com hexágonos, técnica de construir diversos produtos de casa com tecido sobre tecido e retalhos. “É tudo manual. Uma tradição pouco comum no Brasil, que a gente não recebe instruções de como faz. Aprendi com minha mãe”, disse Sandra. Sobre o auxílio do governo para alavancar os negócios, ela classificou como importante, especialmente porque na pandemia, “o artesanato, que é ligado ao turismo, foi muito afetado”.

*CORRELATA*

*Gracinha Caiado leva benefícios a comunidade quilombola e alunos da rede estadual*

Como parte das ações sociais do Governo de Goiás, a passagem por Mineiros também foi marcada pela entrega de benefícios ao Quilombo Cedro, onde vivem quase 80 famílias. No local, a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) destinou à comunidade 100 cestas básicas, 300 cobertores, 1,5 mil máscaras para auxiliar na proteção à Covid-19, além de brinquedos para as crianças que moram no quilombo, sendo 120 bonecas, 120 carrinhos, 120 bolas e 60 jogos.

Já em Chapadão do Céu, a primeira-dama entregou para quatro estudantes do Colégio Estadual Frutos da Terra smartphones que vão contribuir com os estudos, especialmente neste período de aulas remotas. “Estava estudando no celular da minha mãe, quando dava. Agora, ficará bem mais fácil”, disse um dos beneficiados, o aluno Antônio Leilson, de 16 anos. O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), está distribuindo 1.136 smartphones por todo Estado. São destinados a jovens que não dispõem de recursos para acompanhar as aulas à distância impostas pela pandemia.

Gracinha ainda conheceu o Projeto Orca, criado por estudantes goianos da rede estadual para o Prêmio Respostas Para o Amanhã. A iniciativa, que ficou entre as 100 melhores do Brasil, é uma ferramenta que emite sons para afastar animais de áreas florestais com incêndios. Os detalhes foram apresentados pela coordenadora regional de Educação de Jataí, Alessandra Espíndola. “Ouvir que vocês saíram na frente nos deixa muito felizes. Vamos verificar uma parceria para que o Estado possa utilizar esse software nos 22 parques estaduais do Estado. Isso precisa ser divulgado”, sugeriu a primeira-dama.

Ainda como parte da agenda no Sudoeste do Estado, a primeira-dama Gracinha Caiado, os secretários César Moura (Retomada) e Andrea Vulcanis (Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) visitaram o Parque Nacional das Emas, contemplaram o fenômeno da bioluminescência (que só acontece em Goiás) e praticaram boia cross.

*Legenda:* Gracinha Caiado, César Moura e Andrea Vulcanis visitam artesãos e apresentam Sistema do Artesanato de Goiás. Determinação do governador Ronaldo Caiado é mapear potencialidades e valorizar economia criativa (Fotos: Cristiano Borges)

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agenda

Consultoria de Sérgio Moro já faturou R$ 17 milhões com crise da Odebrecht cujo processo atuou como juiz

Publicado

em

Por

A Alvarez & Marsal, empresa de consultoria da qual Sergio Moro acaba de se tornar sócio-diretor, já faturou R$ 17,6 milhões com o processo de recuperação judicial do grupo Odebrecht. O conglomerado de empresas recorreu à Justiça para tentar renegociar suas dívidas e escapar da falência depois de ter sido investigado pela Operação Lava Jato, em cujos processos Moro foi juiz.

A empresa, com sede nos Estados Unidos, foi nomeada em junho do ano passado pela Justiça de São Paulo como administradora-judicial no processo de recuperação da Odebrecht. Pelo serviço, tem direito a receber honorários, que hoje chegam a R$ 1,1 milhão por mês.

A parcela mensal foi fixada pelo juiz João de Oliveira Rodrigues Filho, da 1ª Vara de Falências de São Paulo. O valor dos pagamentos, porém, é provisório.

Continue Lendo

Agenda

Governo de Goiás encaminha à Assembleia Legislativa projeto de lei que cria Programa Universitário do Bem (Probem)

Publicado

em

Por

Primeira-dama Gracinha Caiado define reformulação do programa Bolsa Universitária da OVG como “conjunto de medidas de proteção aos mais vulneráveis”. Meta é ampliar oportunidade de acesso ao ensino superior e, consequentemente, ao mercado de trabalho. Presidente da Alego, deputado Lissauer Vieira diz que texto deve ser votado ainda em dezembro_

A presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais, primeira-dama Gracinha Caiado, entregou nesta terça-feira (1º/12) ao presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, deputado Lissauer Vieira, um projeto de lei que dispõe sobre o Programa Universitário do Bem (Probem), que reformula o atual programa Bolsa Universitária, da OVG. O objetivo é aperfeiçoar os critérios de ingresso e de permanência, além de corrigir valores ao longo do percurso universitário. “É um conjunto de medidas de proteção àqueles que realmente vivem na vulnerabilidade”, resumiu Gracinha Caiado.

A presidente de honra da instituição demonstrou preocupação com a estatística que aponta 33% dos jovens brasileiros fora do mercado de trabalho, e garantiu que as alterações no programa visam reduzir esses números em Goiás, a partir da democratização do acesso às bolsas universitárias, com critérios definidos de forma técnica. “Nada insere melhor um jovem no mercado de trabalho do que a oportunidade de estudar. Nossa grande preocupação é essa”, completou.

Lissauer Vieira destacou que o novo formato elaborado pela atual gestão tem como principal característica a justiça social. “Entendemos que é um programa com mais celeridade e igualdade na escolha dos universitários”, disse. O presidente da Alego ainda assegurou prioridade à tramitação da matéria. “Creio que vamos entregar [o projeto aprovado] ainda na primeira quinzena do mês de dezembro para o governador sancionar.”

A apresentação do novo programa ocorreu no Palácio das Esmeraldas e contou com a participação de deputados da base e da diretora-geral da OVG, Adryanna Melo Caiado. Ela esclareceu que serão mantidos os direitos de todos os bolsistas cadastrados atualmente. “Nenhum aluno, desses 9 mil, será prejudicado”, pontuou. Adryanna ainda afirmou que a direção do programa está preparada para realizar a transição das novas regras. “Estamos com tudo pronto para ser colocado em prática a partir do próximo semestre.”

*Principais mudanças*

O projeto de lei, que já está em tramitação na Assembleia Legislativa de Goiás, revoga a Lei nº 17.405, de 2011, que dispõe sobre o Programa Bolsa Universitária, e estabelece as novas regras para a concessão do auxílio para as bolsas de estudo de ensino superior. “Não estamos propondo uma simples mudança de nome. Trazemos aqui uma mudança de conceito, uma proposta de mais oportunidades para aqueles em vulnerabilidade”, explica Gracinha Caiado.

A partir do novo formato apresentado pelo Governo de Goiás, a seleção dos bolsistas será feita com base na vulnerabilidade social da família, o que considera a condição de vida, não apenas a renda. O processo seletivo avaliará os dados do Cadastro Único (CadÚnico), tais como: qualidade da residência, mercado de trabalho, inscrição em programas sociais e dificuldade de acesso à educação. Esse critério será então combinado à nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), permitindo maior eficiência na seleção dos estudantes.

Outra novidade é sobre os valores das bolsas, que atualmente variam de R$ 300 a R$ 500, sem correção. A proposta é melhorar essa metodologia, garantindo que cursos em geral tenham limite máximo de R$ 650 (parcial) e R$ 1,5 mil (integral), utilizando o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) como base para reajuste. Para medicina e odontologia, os valores são R$ 2,9 mil (parcial) e R$ 5,8 mil (integral).

O aumento da cobertura do benefício confere mais estabilidade financeira para os estudantes beneficiários e potencializa os resultados do Probem, ao permitir que o bolsista se programe do início ao fim do curso, reduzindo as chances de evasão.

O projeto de lei foi elaborado com o apoio de estudos técnicos de pesquisadores contratados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) e Instituto Mauro Borges (IMB). A meta era criar condições para tornar o benefício mais efetivo e com maior possibilidade de gerar impactos positivos na vida dos bolsistas e para a sociedade como um todo.

*Fotos: Cristina Cabral*

*Legenda*

Presidente de honra da OVG, Gracinha Caiado entrega ao presidente da Alego, deputado Lissauer Vieira, projeto de lei que cria o Programa Universitário do Bem (Probem)

*Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás*

Continue Lendo
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com