Conecte-se conosco

Estado

Inovador: A convite de Caiado, ministro da Cidadania lança em Goiás programa federal inédito no País

Publicado

em

Osmar Terra visitou Cavalcante, no Nordeste Goiano, a pedido do governador Ronaldo Caiado e anunciou que a cidade será a primeira do País a receber recursos do projeto Município Mais Cidadão

Ao lado do governador Ronaldo Caiado, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, lançou neste sábado (14/09), em Cavalcante (GO), o programa “Município Mais Cidadão”, que visa beneficiar as regiões mais carentes do País.
“São mais de dez ações que envolvem diversas áreas do ministério, como esporte, cultura e assistência social, e vamos direcionar para aqueles municípios que mais precisam. Em parceria com as prefeituras e Sistema S, nossa meta é gerar impacto nessas comunidades, com a promoção de festivais de música, dança, olimpíadas municipais, inclusão das pessoas com deficiência, além de outras iniciativas que gerem renda”, exemplificou o ministro durante reunião com o governador e com os prefeitos da região.

“O Nordeste Goiano é nossa prioridade número um. Estamos aqui a convite do governador, que tem forte influência e prestígio em Brasília”, emendou Terra, que foi colega de Caiado na época em que ambos exerceram mandato na Câmara dos Deputados.

Ao recepcionar Osmar Torres, Ronaldo Caiado fez questão de reforçar que o compromisso da sua gestão é acabar com as desigualdades regionais no Estado. “Vamos trazer para essa região tudo o que sempre foi prometido e nunca chegou: infraestrutura, energia de qualidade, rodovias, FCO [Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Centro-Oeste] e incentivos fiscais. Governamos para todos os goianos e, neste primeiro momento, vamos priorizar, em nossas ações, aquelas regiões mais carentes, que precisam do Estado.”

Presente na solenidade, a secretária nacional de Assistência Social do Ministério da Cidadania, Mariana Neris, adiantou que os técnicos da Pasta Federal estarão nos próximos dias em Cavalcante para fazer o levantamento das vulnerabilidades e demandas da população. “Neste mês de setembro já entramos com o planejamento. Acreditamos que, até o final deste ano, conseguimos liberar os recursos necessários para sanar os problemas detectados”, informou.

Prefeito do município, Josemar Saraiva disse que o orçamento do Executivo local é limitado para investir nas principais demandas da população. “Quase 70% das nossas receitas estão comprometidas com a folha de pessoal. Por isso, essas intervenções do Estado são tão importantes para nós”, frisou, elogiando o governador. “Quando recebemos a notícia de que Cavalcante era o município mais pobre, ficamos muito tristes. Mas hoje o governador vem aqui e traz o ministro [Osmar Terra] com essa notícia tão boa. Estamos saindo da miséria”, comemorou.

*Vulnerabilidade*
Logo após a primeira reunião com o ministro e prefeitos, o governador se dirigiu para a Câmara Municipal. Lá, o diretor-executivo do Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômico Mauro Borges (IMB), Cláudio André Gondim, apresentou dados do Índice Multidimensional de Carências das Famílias (IMCF), que utiliza metodologia do PNUD para averiguar quais cidades são as mais vulneráveis socialmente.

“Não trabalhamos mais com achismos e não usamos mais apenas um fator, que era a renda. É preciso avaliar itens como educação e também a estrutura das moradias, saber se têm o mínimo de condições de salubridade”, explicou o governador.

O primeiro diagnóstico do IMB apontou Cavalcante como a cidade mais carente do Estado. Também entraram nesse ranking outros nove municípios: Amaralina, Campinaçu, Colinas do Sul, Heitoraí, Matrinchã, Monte Alegre de Goiás, Montividiu do Norte, Santa Terezinha de Goiás e Teresina de Goiás.

“Eu estou hoje em um dos oito municípios onde perdi a eleição no ano passado. Mas a gente não faz política como nossos antecessores. Meu compromisso é com o cidadão goiano e nós teremos um Estado cada vez mais pujante quando eliminarmos as desigualdades regionais”, frisou Caiado. Ele contou que buscou inspiração na Coreia do Sul para promover o desenvolvimento de Goiás de forma consistente, contínua e igualitária.

O secretário de Desenvolvimento Social, Marcos Cabral, aproveitou a oportunidade para comentar sobre o mutirão que a pasta realizou em Cavalcante na semana passada. “Em breve, entregaremos mais de 1600 documentos para a população, como a carteira do autista, carteira de trabalho, entre outros”. Durante a solenidade na Câmara, os documentos foram entregues de forma simbólica.

*Projeto Rondon*

Dois coordenadores do Projeto Rondon, o vice-almirante Barros Coutinho e o coronel Marcelo Martins, também estiveram em Cavalcante. O programa, coordenado pelo Ministério da Defesa, visa o desenvolvimento regional de comunidades carentes por meio de intervenções dos universitários brasileiros e das Forças Armadas, que promovem oficinas de capacitação nos locais onde as operações são desenvolvidas. O governador trabalha para incluir 27 municípios do Nordeste Goiano em uma das agendas do projeto previstas para o biênio 2020/2021.

Ao final do dia, o governador participou da aula inaugural do projeto de alfabetização de jovens e adultos de Cavalcante, iniciativa do Gabinete de Políticas Sociais, coordenado pela primeira-dama do Estado, Gracinha Caiado, e que tem como braço executor a Secretaria Estadual da Educação. Caiado ainda se reuniu com empresários e comerciantes da cidade para ouvi-los e dar encaminhamento às principais demandas da população.

Acompanharam o governador na agenda em Cavalcante os secretários estaduais Edival Lourenço (Cultura), Marcos Cabral (Desenvolvimento Social), Valéria Torres (Comunicacão), Fátima Gavioli (Educação) e Andréa Vulcanis (Meio Ambiente).

Participaram ainda dos compromissos os prefeitos de Amaralina, Teresina, Colinas do Sul, Monte Alegre, São João D Aliança, Alto Paraíso, Posse, além do presidente da Associação dos Kalunga, Vilmar de Souza, lideranças religiosas, políticas e comunitárias.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

EXTRA | Acusados da morte do radialista Valério Luiz vão à júri popular

Publicado

em

Por

Juiz desmembrou julgamento de réus pela morte de Valério Luiz e marca primeiro júri, em Goiânia

Radialista foi morto a tiros em 2012, logo após sair do trabalho.

Cinco pessoas respondem pelo crime e devem ser julgadas em três sessões diferentes, conforme decisão.

O juiz Jesseir Coelho de Alcantara determinou, nesta terça-feira (15), que o julgamento da morte do radialista Valério Luiz de Oliveira seja dividido em três sessões, em Goiânia.

O magistrado separou os réus para não julgá-los em uma única sessão.

Diretor do Foro da Comarca de Goiânia, Paulo César Alves das Neves disse, por telefone, que há uma obra andamento no Fórum Cível desde outubro deste ano justamente para comportar esse tipo de julgamento.

“O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) trabalha para deixar o local em condições de realizar júris complexos até janeiro de 2020. Estamos esperando uma licitação para compra de materiais, mas, se quiser, poderá marcar todos para a partir de fevereiro”, explicou.

Acusados

De acordo com a decisão, o primeiro a passar pelo júri será o réu Ademá Figuerêdo Aguiar Filho: às 8h30 no dia 19 de fevereiro de 2020. Ele é apontado nos processos como o executor do homicídio.

O magistrado determinou que a segunda sessão julgue os réus apontados como partícipes – Djalma, Urbano e Marcus Vinícius – e, por último, de Maurício Borges Sampaio, considerado o mandante do crime nas investigações. As datas desses julgamentos ainda não foram definidas.

Valério Luiz foi morto em 2012, logo depois de sair da rádio onde trabalhava, na Rua C-38, Setor Serrinha, em Goiânia. Valério chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Continue Lendo

Estado

FOTOS Referência na América Latina, Bombeiros de Goiás promovem curso de salvamento em alturas

Publicado

em

Por

Fotos: Lucas Diener

Salvar vidas sob quaisquer circunstâncias, independente do cenário. Esse é um lema que fez do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (CBMGO) referência na América Latina quando o assunto é salvamento em altura. Criado em 1998, o curso forma especialistas em todo o País e até fora dele, fazendo os alunos vivenciarem os mais variados desafios no ar. Nesta terça-feira (15/10), por exemplo, a turma que está em formação treinou no mais alto prédio do Centro-Oeste, cuja torre mede 175,09 metros.

Com 52 pavimentos, o Kingdom Park Residence ainda está em construção no Setor Nova Suíça, em Goiânia, e foi cedido para a aula prática. Os 41 alunos aplicaram técnicas de amarrações com corda, ancoragens e ainda desceram o prédio de rapel, despertando a curiosidade de quem passava pela região. A turma é composta por bombeiros, integrantes da Força Aérea e policiais rodoviários federais oriundos de nove estados – Goiás, São Paulo, Rondônia, Acre, Ceará, Maranhão, Pará, Amapá e Rio Grande do Sul –, e também da Argentina.

A primeira dupla a descer de rapel foi o goiano aspirante a oficial Jeferson Ferreira Souza e o sub-ajudante da Polícia de Buenos Aires, Kevin Vega. O oficial argentino classificou o curso como excelente e, ao mesmo tempo, exigente nos mínimos detalhes. “Não tem um dia que não seja difícil”, declarou, ainda ofegante após encarar a descida de 175 metros utilizando cordas. “Vim da Argentina com outro companheiro para aprender todas as técnicas e poder transmiti-las aos demais [argentinos]”, completou, elogiando a eficiência dos bombeiros de Goiás.

Multiplicadores de conhecimento
Coordenador do curso, o capitão Luciano Freitas explicou que os bombeiros de Goiás ostentam uma tradição quando o assunto é salvamento em altura, por isso despertam a atenção de tantos oficiais vindos de fora. São dois meses e uma semana de treinamento, com aulas teóricas e práticas. “A gente prepara o efetivo para atender em todo cenário, sejam torres metálicas, edificações, cachoeiras ou paredes de escaladas e até caso de tentativa de suicídio”, explicou.

Quem conclui o curso oferecido pelo CBMGO, além de ganhar o certificado de 400 horas, vira um agente multiplicador.

Torna-se apto a realizar treinamentos em suas próprias bases operacionais, repassando as técnicas aprendidas dentro da corporação goiana. Mas não é fácil.

Fotos: Lucas Diener

a turma que iniciou o curso, em 9 de setembro, três candidatos já foram desligados. “Tem provas que exigem vigor físico e psicológico. Isso para que, quando o agente ou militar se depare com a situação real, consiga executar as técnicas”, observou o capitão Freitas.

Mais desafios

Antes da escalada no prédio mais alto do Centro-Oeste, a turma já encarou outros desafios nas últimas semanas, como instruções com uso de helicóptero, salvamento em torres metálicas e estruturas treliçadas, comuns em shoppings, ginásios e estádios. Num cenário mais amplo, os formandos também aplicaram técnicas de salvamento em cachoeiras, em treinamento no município de Aloândia, e no cenário com montanha, em Rochedo, no Mato Grosso do Sul.

Sobre as aulas teóricas, o capitão Freitas informou que já foram ensinados “cálculos voltados para multiplicação de força, vantagem mecânica, sistemas de ancoragem e segurança, além de estudos sobre os materiais adequados para salvamento em altura”.

Até a conclusão dos estudos, prevista para novembro, o grupo ainda aplicará técnicas de salvamento em altura no Rio de Janeiro (Bondinho) e na Escola Superior dos Bombeiros, em São Paulo.

Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

Continue Lendo