Conecte-se conosco

Estado

Polícia diz que caseiro confessou ter matado três pessoas em Goiás: “Não está negando nada”

Publicado

em

caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, confessou ter matado a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro, segundo informou o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, em entrevista coletiva ao lado da Polícia Civil e Militar do estado.O suposto autor do crime se entregou na manhã deste sábado em Gameleira, a cerca de 100 quilômetros de onde os crimes ocorreram.  

“Ele já assumiu que foi ele. Não está negando nada. Está tentando justificar o injustificável. Está tentando arrumar desculpa”, afirmou o secretário.

A polícia informou que ele entregou a arma que teria sido usada nos crimes, um revólver calibre 38. Protácio estaria ainda carregando munições de diversos calibres.

O caseiro está sob custódia, e será levado ao Instituto Médico Legal (IML) para realização de exame de corpo de delito. Segundo a polícia, ainda não foi apresentado um advogado de defesa. 

Uma fazendeira local convenceu Protácio a se entregar à polícia, segundo publicou o g1. Ela afirmou que estava em sua casa quando foi abordada pelo supeito. 

“Eu estava dormindo e meu marido havia saído para pegar leite. Ele bateu na janela, apontou a arma para mim, falou que era um assalto e que ia me matar. Eu pedi calma, falei pra ele ficar tranquilo que eu iria ajudá-lo”, disse Cinda Mara ao g1.

Ela contou que, após conseguir acalmar Wanderson, ele chegou a tomar café e vestir uma camisa. Mara então chamou o marido, que o colocou o suspeito no carro e o levou até os policiais. Antes de entregá-lo às autoridades, a fazendeira chegou a tirar uma foto com o suspeito.   

Os crimes ocorreram na zona rural de Corumbá, onde Protácio trabalhava como caseiro de uma fazenda. Após ter matado a mulher grávida e a enteada, ele teria ido até a casa do seu patrão e furtado um revólver com seis munições. Em seguida, o suspeito foi a uma propriedade vizinha e matou um fazendeiro para roubar a caminhonete dele.

Protácio foi apelidado de “Lázaro 2.0” ou “Novo Lázaro”, devido a semelhanças ao caso de Lázaro Barbosa, acusado de matar quatro pessoas da mesma família e que foi alvo da maior perseguição policial da história de Goiás, em junho deste ano.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Protegido: GOYAZ 20/01/2022

Publicado

em

Por

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

Continue Lendo

Estado

Brasileiros descobrem molécula que pode combater o câncer

Publicado

em

Por

Viva a ciência brasileira! Pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) encontraram uma molécula inédita que pode contribuir no combate ao câncer.

Outra ótima notícia é que essa molécula é seletiva, ou seja, ela age mais sobre as células tumorais do que sobre as células saudáveis – diferentemente da quimioterapia, que apesar de eficaz, acaba impactando nas células saudáveis e causando efeitos colaterais.

A pesquisa pretende desenvolver tratamentos mais saudáveis para o nosso organismo e claro, a cura para a segunda maior causa de mortes do mundo.

Molécula tem capacidade de eliminar células do câncer

A descoberta faz parte do estudo realizado pelos pesquisadores do Programa de Pós Graduação em Genética e Bioquímica pela UFU.

A molécula inédita é de um complexo de cobre e apresenta seletividade e capacidade de morte celular.

Os testes foram realizados em laboratório, a partir de células tumorais de humanos e de camundongos. O complexo de cobre mostrou ser capaz de induzir a produção de um outro tipo de molécula, chamadas espécies reativas de oxigênio.

As reativas de oxigênio conseguiram atingir as células tumorais, danificando seu DNA. Os prejuízos foram tão severos que as células cancerosas entraram em um processo de morte celular programada, chamado tecnicamente de apoptose.

Nas próximas fases do estudo, os pesquisadores pretendem desenvolver mecanismos em que a molécula descoberta será colocada dentro de nanocápsulas, ou seja, que vire um medicamento.

Continue Lendo