Conecte-se conosco

Capital

Rua 1.018, no Setor Pedro Ludovico, é alargada em 5 metros

Publicado

em

Serviço visa oferecer alternativa de tráfego durante as obras de prolongamento da Marginal Botafogo e da construção do complexo viário na Avenida Jamel Cecílio

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra), está trabalhando no alargamento da Rua 1.018, no Setor Pedro Ludovico, que ganhou mais 5 metros, passando de 7 para 12 metros de largura. A via, de 450 m de extensão, será uma alternativa de tráfego durante as obras de construção do complexo viário da Avenida Jamel Cecílio e do prolongamento da Marginal Botafogo. As obras na via terão início na segunda-feira, dia 02, e as do complexo viário no dia 12 de setembro.

Na última sexta-feira, a Rua 1.018 foi alargada e parte da via foi imprimada para receber o pavimento asfáltico. Os trabalhos seguem, de acordo com o cronograma da Seinfra, até a próxima quarta-feira, dia 04. Em seguida, a Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT) realizará a sinalização no local.

Mudanças no trânsito

A SMT já projetou cinco opções de desvios para atender o bloqueio que será implantado no cruzamento da Avenida Jamel Cecílio com Alameda Leopoldo de Bulhões para execução das obras da Marginal Botofago. A pasta implantará toda sinalização horizontal, vertical e orientativa na região visando garantir a mobilidade com segurança no sistema viário. A partir desta segunda-feira, a RedeMob também já estará treinando os motoristas e usuários sobre as novas rotas e pontos de paradas de ônibus.

Sentido Sul/Norte

1. Acesso à Marginal Botafogo: Alameda Leopoldo de Bulhões x 1018 → Rua 1018 → Rua 109 → Avenida E → Avenida A (2,9Km).

2. Acesso ao Centro: Alameda Leopoldo de Bulhões → Alameda Mário Caiado → Avenida Areião → Rua 90 → Rua 115 → Rua 88 (2 ,7Km).

Sentido Norte/Sul

1. Acesso BR-153: Marginal Botafogo → Rua PL-3 → Rua PL-8 → Avenida Botafogo → Rua 1018 → Rua 109 → Av. Dep. Jamel Cecílio (1,8Km).

2. Acesso ao Terminal Isidória: Marginal Botafogo → Rua PL-3 → Rua PL-8 → Av. Botafogo → Alameda Leopoldo de Bulhões (0,4Km)

Sentido Oeste/Leste

1. Acesso à BR-153: Jamel Cecílio → Rua PL-8 → Avenida Botafogo → Rua 1018 → Rua 109 → Avenida Jamel Cecílio (2,9Km)

Complexo viário

O complexo viário que será construído na região inclui três elementos diferentes de engenharia, nos mesmos moldes do que ocorreu no cruzamento da Avenida 85 com a Avenida T-63: o elevado, uma rotatória em nível e a trincheira. Cada um deles atenderá a uma das vias atingidas. A Avenida Jamel Cecílio vai passar pelo elevado sobre toda a obra; no nível da Alameda Leopoldo de Bulhões será construída a rotatória, na rua já existente; e a Marginal Botafogo passará em trincheira por baixo de tudo. Ao lado do viaduto será erguido um monumento em estrutura metálica de um braço e uma mão, representando simbolicamente o traçado da obra, sendo o elevado o braço e a rotatória, a boca de um violão.

Com essa intervenção, a Prefeitura de Goiânia busca dar maior fluidez ao tráfego de veículos para a Jamel Cecílio e para a Marginal Botafogo e maior acesso a essas duas vias para quem está na Leopoldo de Bulhões, eliminando o semáforo de três tempos no cruzamento e destravando o trânsito.“O complexo viário é mais uma obra de grande impacto da Prefeitura de Goiânia sobre a mobilidade urbana da nossa Capital”, explica o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Dolzonan da Cunha Mattos.

“O elevado na Jamel Cecílio dará fluxo direto para as pessoas que querem atingir a GO-020 ou os bairros e condomínios da região. Neste caso, a Marginal Botafogo vai realmente funcionar como uma via expressa, sem nenhuma interferência semafórica. Já quem desce a Alameda Leopoldo de Bulhões terá acesso à direita, na Jamel Cecílio, ou à esquerda, para o Setor Sul. Para isso, basta fazer o contorno da rotatória e seguir ou retornar à própria Alameda. O trânsito vai fluir para todos os lados, sem interferência de sinaleiro”, conclui.

Prolongamento da Marginal Botafogo

O Consórcio Planex Ingá venceu a concorrência pública e será o responsável pela execução do prolongamento da Marginal Botafogo. O processo foi homologado no último dia 23.

A obra será executada com recursos do Tesouro Municipal, no valor de R$ 13.060.342,90, e tem prazo de sete meses para ser concluída.

Segundo Flávio Máximo de Oliveira, coordenador executivo da Unidade Executora de Projetos do Programa Urbano Ambiental Macambira-Anicuns (UEP/PUAMA), responsável pela obra, a Marginal será prolongada em cerca de 1,5 km, da Jamel Cecílio até a Segunda Radial, no Setor Pedro Ludovico.

O Consórcio ficará responsável pela execução de todo o projeto, que inclui a reurbanização do Córrego Botafogo, compreendendo a implantação da pista lateral na margem esquerda do Córrego, com o respectivo sistema de drenagem e recomposição do leito, substituição das pontes da 2ª Radial, canalização do córrego sob a Avenida 2ª Radial, alças de acesso à mesma, no trecho entre as Avenidas Jamel Cecílio e 2ª Radial, e iluminação.

Nara Serra, da editoria de Infraestrutura, e Antônio Bento, da Diretoria de Jornalismo

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Capital

Iris entrega mais de 250 escrituras para moradores do Goiânia Viva

Entrega foi realizada com a presença do prefeito Iris Rezende nesta quarta-feira (15/1). Desde que foi lançado, o Programa Primeira Escritura já beneficiou cerca de 2,6 mil famílias de diversos bairros da capital

Publicado

em

Por

O prefeito Iris Rezende entregou nesta quarta-feira (15/1) mais 250 escrituras a proprietários de imóveis localizados no Residencial Goiânia Viva, na região Sudoeste da capital. A ação faz parte do Programa Primeira Escritura, instituído pela Prefeitura de Goiânia em 2018 e que visa regularizar e escriturar cerca de 8 mil imóveis em 45 bairros da capital até dezembro deste ano.

Durante a solenidade realizada no Parque da Lagoa, o prefeito Iris Rezende disse que entregar escrituras às famílias é mais que valorizar os imóveis e proporcionar dignidade aos moradores. “Vocês agora são legalmente donos dos imóveis onde moram. Goiânia é a única capital brasileira que não convive com favela e um dos fatores que contribuíram para essa realidade é o fato de realizarmos ações em prol da habitação na cidade”, disse.

Essa é a segunda etapa de regularização de imóveis do bairro, que foi criado na década de 1990 objetivando o assentamento de famílias retiradas de áreas de risco da capital. No total, com a entrega realizada nesta quarta-feira, cerca de 500 famílias do setor já foram beneficiadas pelo programa, coordenado pela Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh).

O titular da Seplanh, Henrique Alves, disse que a prefeitura tem trabalhado para entregar, até o fim do ano, 8 mil escrituras. “Aqui, por exemplo, estamos entregando 250, mas ainda temos muitas outras para entregar. Por isso, pedimos aos proprietários que procurem a prefeitura para que possamos concluir a entrega das escrituras de todos imóveis de responsabilidade da administração municipal”, afirmou o secretário Henrique.

Moradora do Residencial Goiânia Viva há 21 anos, Maria dos Santos de Oliveira confessou que não se contém de tamanha alegria. “Agora sim posso dizer que moro no que é meu e, por isso, estou muito feliz”, revelou. Ela acrescentou que não via a hora desse momento tão importante acontecer em sua vida e aproveitou para agradecer ao prefeito. “Obrigada, prefeito Iris Rezende, o senhor não faz ideia da felicidade que está proporcionando para minha família e muitos outras que estão sendo contempladas aqui também”, concluiu.

Desde que foi lançado o Programa Primeira Escritura já beneficiou cerca de 2600 famílias de diversos bairros, como o Parque Atheneu, Residenciais Goiânia Viva e Itamaracá, Setor Pedro Ludovico, Vila Finsocial e Jardim Goiás.

Willian Assunção, da editoria de Planejamento e Habitação, e Mauro Júnio, da Diretoria de Jornalismo
Fotos: Paulo José

Continue Lendo

Capital

ELEIÇÃO 2020 | PT está paralisado e Adriana Accorsi diz que há tempo e pré candidatos ainda podem surgir de última hora

Após drástica perda de eleitores o PT em Goiás não se renovou e a falta de nomes estaciona o partido nas próximas eleições de outubro

Publicado

em

Por

Goiânia – A deputada estadual Adriana Accorsi (PT) afirmou que, apesar do interesse principal do Partido dos Trabalhadores (PT) ser lançar candidato próprio para a Prefeitura de Goiânia nas eleições deste ano, a sigla ainda está aberta para possíveis alianças com outros partidos. “O peso maior é para lançarmos nossa candidatura. A princípio, essa é a orientação, mas não estamos fechados para discutir alianças”, disse a deputada em entrevista ao Jornal A Redação na tarde desta quinta-feira (9/1).

Segundo Adriana Accorsi, o PT tem buscado se fortalecer em todo o Estado nas as próximas eleições. “Nossa expectativa é que o partido tenha candidatos e candidatas em grande número”, pontuou.

A petista assegurou ter sido a única, até o momento, a colocar o nome à disposição do partido para a disputa pela gestão da capital no pleito deste ano. “Mas até lá, ainda tem um tempo e mais pré-candidatos devem surgir”, afirmou.

Ao comentar o interesse nas eleições municipais deste ano, Adriana Accorsi reafirmou sua vontade em ser a primeira mulher a assumir a Prefeitura de Goiânia. “Onde eu vou, as pessoas comentam a possibilidade da cidade ter uma prefeita mulher pela primeira vez”, acrescentou.

Adriana revelou, também, que algumas lideranças já entraram em contato com o PT, vislumbrando a possibilidade de uma parceria. “A presidência do partido já foi procurada por algumas siglas, mas ainda estamos marcando as conversas e não pretendemos divulgar esses nomes, por enquanto”, finalizou.

Continue Lendo