Conecte-se conosco

Brasil

Tratores adaptados com chamas são a nova técnica para acabar com o uso pesticidas

Publicado

em

Mais fácil e sem prejudicar o solo e o meio ambiente.

No momento de plantar novas colheitas, os novos tratores são capazes de queimar as ervas daninhas e assim agricultores podem evitar ou até abolir o uso de pesticidas. Uma ideia genial e teremos menos problemas de saúde. É algo que parece lógico, no entanto, também precisamos lembrar da influência de como esses alimentos são cultivados.
Pensando em deixar os alimentos ainda mais saudáveis, agricultores orgânicos implementaram uma nova tecnologia, baseada em lança-chamas, sim, você leu certo. É um novo sistema que evita o uso pesticidas e que até agora tem funcionado muito bem.

É como por exemplo, o fato de remover grande parte da erva daninha, a sua velocidade e eficácia, e ainda impedimento do crescimento de raízes danificadas, desfazendo assim a necessidade de pesticidas e semelhantes.

E quem mais ganha com isso são os consumidores, pois acabam tendo vegetais ainda mais saudáveis e menos cheios de pesticidas. Só não foi revelado se essa tecnologia é mais barata e acessível do que os pesticidas comuns

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

ESTADO MAIOR | Bolsonaro perde força, General Braga Netto assume Brasil em acordo com militares

Publicado

em

Por

Acordo das Forças Armadas coloca Braga Neto como “presidente operacional”

A deliberação dos militares já teria sido comunicada, “com os devidos cuidados”, aos ministros e às principais autoridades dos Três Poderes, diz o site. “Pelo menos enquanto a grave situação de crise perdurar, o general será o “presidente operacional” do Brasil.

O óbvio aconteceu. Oficialmente o general de Exército Braga Neto assumiu o comando do governo Bolsonaro em um cargo que os meios militares estão chamando de Estado-Maior do Planalto.

Segundo o site DefesaNet, porta-voz oficioso do meio militar, não foi uma simples indicação de Bolsonaro, mas resultado de reuniões complexas, um acordo “por cima”, envolvendo ministros e comandantes militares e o próprio Bolsonaro.

Segundo o site, ”sua “missão” busca reduzir a exposição do presidente, deixando-o “democraticamente” (Apud Paulo Guedes) se comportar como se não pertencesse ao seu próprio governo. O general passa a enfeixar as ações do Executivo na crise. Pode, inclusive, contrariar as declarações de Bolsonaro”.

Não apenas isso.
“Ocorre após uma semana em que proliferavam ataques e notícias falsas, incluindo de setoristas que cobrem as Forças Armadas, em Brasília, com notícias delirantes sobre crítica dos militares ao governo.
A imprensa ansiosa por uma crise institucional, junto às oligarquias estaduais, mais a oligarquia do Congresso, não é apoiada pelos empresários e especialmente pelo sistema financeiro.
Este brincou no início da crise especulando contra o Real e na Bolsa, porém agora percebe que o risco de um possível crash bancário, pela TOTAL insolvência dos clientes, não pode ser descartado”.

Segundo o site, a frase do Comandante do Exército, general Edson Leal Pujol, de que “talvez seja a missão mais importante da nossa geração”, foi traduzida como a luta contra o COVID-19. “Para os mais atinados, a mensagem foi clara”. Outro sinal, segundo o site, foi a Ordem do Dia alusiva a 31 de março, assinada pelos Ministros da Defesa, Fernando Azevedo, e os três comandantes militares.

Continue Lendo

Brasil

Ministros do TSE discutem adiar eleições para fim do ano, mas descartam prorrogar mandatos

Publicado

em

Por

Continue Lendo